TVI

Júlio Magalhães já pensou demitir-se duas vezes

Foi na TV Guia desta semana que Júlio Magalhães deu uma entrevista onde revelou as suas mágoas e alegrias desde que se tornou director de Informação da TVI.
De relações cortadas com José Eduardo Moniz e Manuela Moura Guedes, Júlio Magalhães não teme que a profissional de Queluz de Baixo, que está de baixa, volte ao activo: “Na TVI, sou capaz de trabalhar com quem a administração entender que tenho de trabalhar”.
Depois de o ex-director de programas da TVI ter abandonado o canal da Media Capital, muitas foram as criticas que dirigiu ao actual director de Informação da casa que durante anos liderou. Consciente de que tudo tem limites, Júlio Magalhães esperou um ano para responder ao marido de Manuela Moura Guedes, quando considerou que as acusações tinham atingido um ponto inadmissível. “Começou a ser excessivo. O mês de Agosto, como toda a gente sabe, é atípico em audiências, e as críticas começaram quase a ser diárias. Sistematicamente estava a receber SMS e telefonemas a contarem-me que andavam a dizer que a TVI era um descalabro e que a informação tinha responsabilidade nisso. Senti, então, a necessidade de fazer um esclarecimento em relação ao trabalho que estávamos a fazer. Falei, está falado”, afirmou à publicação da Cofina.

Em relação às audiências do Jornal Nacional, o jornalista é directo: “As pessoas andam mal informadas e passam mensagens que são deturpadas”. Acrescentou ainda o seguinte: “O que aconteceu ao longo deste ano é que a informação está muito repartida. Esta semana, por exemplo, ganhámos sexta, sábado e domingo. E depois, perdemos segunda. O que acontece é que perdemos, ganhamos… Vamos dividindo as coisas. Os adversários são bons. Nunca ninguém falou disto, mas, pela primeira vez, a TVI, à hora de almoço, colocou em causa a liderança da RTP. E ninguém valoriza. À noite, umas vezes ganhamos, outras perdemos. Há um ano, recordo, a TVI não liderava à noite… Mais: passámos um ano a ser penalizados e desacreditados na opinião pública”.

Sobre os momentos mais difíceis que viveu na estação de Queluz de Baixo, Júlio Magalhães confessa que a saída de Miguel Sousa Tavares foi um perda muito difícil. “Custou-me imenso perdê-lo, mas isso não impediu de lhe fazer uma despedida digna. Na altura, foi um soco no estômago, só colmatado com a entrada do Marcelo”, afirmou.

De referir ainda que o jornalista do Porto sentiu necessidade de se demitir do seu actual posto de director de Informação da TVI duas vezes. “Uma, durante a comissão de inquérito, e outra quando foram publicadas conversas privadas”, finalizou.

Tags

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close