TVI

Júlio Magalhães confirma saída da TVI

Apesar de ainda recentemente ter vindo a público anunciar que ainda não era certa a sua saída do canal de Queluz de Baixo, o jornalista confirmou, ainda que por meias palavras, à edição desta semana da revista Nova Gente que vai sair da estação e explicou os motivos que o levaram a tomar tal decisão.

“(A mudança está a correr) muito bem. Ainda estamos em conversas, mas está tudo encaminhado. Ao contrário do que já foi escrito, ainda não entreguei a minha carta de rescisão na TVI. Fiquei de tomar uma decisão até ao fim do ano e só nessa altura é que a tomarei.”, começa por dizer, admitindo que a decisão está “praticamente” tomada.

Mas o que terá, afinal, pesado na decisão de Júlio Magalhães? “Já fiz o meu percurso todo na TVI e faltava-me um desafio novo, o que é normal. Há 12 anos, quando saí da RTP, o sentimento era o mesmo, porque estava numa fase profissional muito monótona. Fui para a TVI porque era um projeto aliciante. Da mesma forma que agora há este novo desafio…”, admite, confirmando que a sua saída não é uma surpresa: “Pois, já andávamos em conversas desde abril. Na altura, disseram-me que havia a possibilidade de o Futebol Clube do Porto adquirir o Porto Canal e, se isso acontecesse, gostavam de contar comigo. O negócio foi concretizado em julho. Mas disse logo que tomava uma decisão no final do ano, até porque queria ver como corriam as coisas na TVI.”

E como reagiu a direção do canal de Queluz de Baixo ao sair desta vontade? “Ficaram preplexos. A Direção de Informação ficou muito preocupada, mas fiz-lhes ver que é um projeto novo. Além disso, é óbvio que a proposta financeira conta, principalmente numa altura em que me retiraram o subsídio (de diretor de Informação). Mas atenção, acho isso perfeitamente legítimo. Nem sequer contestei”, explicou, admitindo que tentaram fazer com que mudasse de ideias: “A Direção de Informação, sim. Mas, em boa vontade, isso já foi um reconhecimento a posteriori. Repare, desde julho que anda a sair nos jornais que poderia ir para o Porto Canal e nunca o desmenti. Penso que a administração deveria ter falado comigo. Desde que saí da Direção de Informação, sinto que a administração se esqueceu um bocado de mim”.

Juca, como é tratado, confirmou ainda que se sentiu “maltratado” pela anterior administração que “tinha combinado uma coisa comigo que não cumpriu.”: “Tinham-me falado num novo cargo. E nunca mais me disseram nada”. Mas Júlio Magalhães não sai com “nenhuma mágoa”, até porque “encaro isto como o fim de um ciclo. Não saio com nenhum ressentimento, mas saio triste. Fiquei triste com tudo o que aconteceu nos últimos meses, com o esquecimento a que fui votado. Desde esse dia, nunca mais nenhum administrador veio falar comigo, nem sequer me telefonaram. Esperava outro comportamento”, concluiu.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close