TVI

José Fragoso explica posição da TVI face à GFK

“Neste momento não podemos estar a trabalhar neste quadro de instabilidade. Queremos estabilidade e credibilidade no sistema. Não estamos em condições de continuar a validar o trabalho da GfK”. É desta forma que o coordenador de Informação e Conteúdos do canal de Queluz de Baixo justificou, em declarações ao Correio da Manhã online a recente notícia de que a televisão de Queluz de Baixo não vai continuar a trabalhar com a atual empresa responsável pela medição de audiências.

“Na TVI tivemos sempre uma posição de colaboração, fomos dando tempo e permitindo que se fosse ganhando mais maturidade e credibilidade”, acrescenta José Fragoso ao CM, justificando-se ainda com as constantes falhas da empresa: “houve um conjunto de erros, um acumular de problemas, que desestabilizaram a forma como uma sistema destes deve funcionar”. Erros que se acentuaram na última semana, o que levou a TVI a tomar esta decisão, defendeu o responsável.

A TVI enviou uma carta à GfK e à Comissão de Análise de Estudos de Meios (CAEM) a informar que não vai continuar a trabalhar com a GfK. De resto, o canal vai mesmo reunir com a Marktest (a empresa que perdeu o concurso de audimetria para a GfK) para que esta meça as audiências.

 A terminar, e questionado sobre os motivos pelos quais não vai esperar pela auditoria ao sistema, requerida recentemente pela RTP, José Fragoso admite que esta demora vai demorar muito tempo e que o canal necessita de “trabalhar todos os dias com resultados credíveis, a horas e sem alterações”. “Precisamos de estabilidade. Não pode haver esta sucessão de problemas”, disse.

  • Miguel

    Não percebo é depois afinal quais os resultam que vão contar para os anunciantes. 
    Ou vão andar a ir buscar audiências às duas empresas (Gfk e Marktest) ao mesmo tempo?!?! Não faz muito sentido… 

  • oa

    temos d trabalhar com resultados crediveis? Ou favoraveis para a tvi? Aposto que se liderasse as audiencias deixava se estar

  • Anoni

    Que vergonha TVI. saber aceitar os resultados seria mais honesto, não??? Assim, vão pagar à marktest para vos manter em 1º nas audiências. Isto é possivel sequer???

    • Rodas_santos_93

         Fala do que sabes… Se não, ficas calado!

                A tvi não vai pagar a ninguém para ficar em primeiro lugar, amigo(a)! Simplesmente a Gfk, actual medidor de audiências, está a revelar-se muito pouco credivel :

      1- Erro da RTP, 0 espectadores durante meia hora! ;

      2- Audiência vêem com dias de atraso (principal problema de José Fragoso) – Como é que é possivel trabalhar se não sabes no momento qual a receptividade do público, para se fazer ajustes na grelha diária ;

      3- Muito estranho a mudança da Marktest para a Gft e com esta mudança a perda de milhares de espectadores a ver televisão.. segundo a Gft ouve uma grande quebra!~

                Problemas que TODOS nós deviamos ter interesse em ver resolvido, mas eu também não ficava à espera do processo da RTP… QUE DEVE DE DEMORAR!

      • Aqui

        Perda de espetadores onde, ó cromo?? Os ratings dispararam com a GFK (e não Gft). A quebra só se verificou este domingo, mas em a ver com o tempo e a mudança de hora…

        Além disso voltas a falar nos 0 espetadores da GFK, mas não falas das 57 vezes que a Marktest contou 0 espetadores em janeiro e fevereiro, pois não??

        Parafraseando-te: “Fala do que sabes… Se não, ficas calado!”

        • Rodas_santos_93

          Desculpa lá o erro, amigo! FairPlay, FairPlay!  *GFK

  • Miguel

    sabes que a tvi lidera as audiencias na mesma, tanto com a Marktest como com a GfK.

  • Joao Lopes

    Se estivesses a trabalhar com uma empresa que não sabes se é credível ou não, também contestavas, ou não? Vê lá se a SIC se queixa?! Claro que não as audiências subiram, e até já ganha vários dias da semana…

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close