TVI

Guilherme vinga-se da ex-namorada

José Fidalgo, o ‘Guilherme Lopes de Almeida’, da novela ‘Fascínios’ (TVI), sente-se humilhado e com o orgulho ferido depois de ‘Leonor’ (Sara Prata) recusar o seu pedido de casamento e, por isso, está a preparar uma vingança. “Até agora, posso dizer que não matou ninguém, nem colocou a vida de ninguém em risco”, adianta o actor, deixando no ar a hipótese de o seu personagem vir a revelar-se um vilão.

O alvo do maquiavélico ‘Guilherme’ não é ‘Leonor’, mas sim todos os que dela se aproximam. “Ao impedir que as pessoas se cheguem à ex-namorada, está a magoá-la. É uma forma de vingança, mas haverá mais”, acrescenta José Fidalgo.
O actor diz que agora o seu papel – um homem frio, calculista e implacável – está a ir de encontro ao que quer fazer dele, salientando que gosta de diversificar a interpretação para se distanciar dos personagens. O seu último trabalho foi ‘Bruno’, em ‘Tempo de Viver’, também da TVI.
“Ainda estou a procurar, de alguma maneira, defender o ‘Guilherme’ e vou tentar fazê-lo. Ele é arrogante e altivo, mas, como pertence a um extracto social elevado, isso é encarado com normalidade. Até faz parte das ‘boas maneiras’”, refere.

Apesar de ter namorado vários anos com ‘Leonor’, nunca esteve apaixonado por ela e é tido como um mulherengo. ‘Renata’ (Vera Kolodzig) é uma das muitas mulheres que cederá aos seus encantos.
“A ‘Leonor’ foi a mulher com quem se habituou a estar, que o preenchia e, de repente, nega-se a casar, porque ele não é o homem da sua vida?! Obviamente sente-se ferido”, salienta o actor, acrescentando que ‘Guilherme’ tentará reconquistá-la. Se não conseguir, “então ela não fica com mais ninguém”, conta ao nosso jornal.

A TERCEIRA CASA É A A1
O actor trabalha em Vialonga, nos arredores da capital, onde grava as cenas interiores de ‘Fascínios’, tem casa perto de Lisboa e vive com a mulher numa quinta em Fafe. “Costumo dizer que a minha terceira casa é a A1 [a auto-estrada que liga Lisboa ao Porto]. Durante a semana vou algumas vezes a casa. Quando gravo à tarde ou estou de folga, aproveito e vou. De contrário, tenho de ficar por cá. Já sou muito conhecido nas estações de serviço”, confessa-nos José Fidalgo.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close