TVI

Filipa Poupinha luta contra um cancro


Tem apenas 24 anos e deu do que falar na temporada de verão de Morangos com Açúcar VI. Contudo, a tenra idade não a “protegeu” de lutar contra uma das doenças mais mortíferas do século.

É em entrevista à edição desta semana da revista TV 7 Dias que Filipa Poupinha confirma estar a lutar contra um cancro, sem contudo, fazer uso dessa mesma designação. “Descobri o tumor em Janeiro, mas quando comecei a desconfiar que se passava alguma coisa foi em Dezembro (…)”, começa por dizer, acrescentando: “Quando falei com o médico, ele disse que a única coisa que pode fazer com que não se tenha menstruação é a gravidez, problemas nos ovários ou um tumor na hipófise. Depois, resolveram marcar-me uma TAC craniencefálica e questionei o porquê de fazer aquilo, no entanto, a resposta foi rápida e eles detectaram logo que era um tumor”, recorda.

Neste momento, o Mundo desabou sobre a atriz, que se questionou: “’O que é isto?’ perguntava eu. Porque o médico não me explicou nada e então, cometi o gravíssimo erro de ir pesquisar à Internet o que tinha. O que li deixou-me ainda mais desorientada. A minha mãe, Dulve, estava em pânico, mas tentava confortar-me e não mostrar o que sentia para eu não ficar ainda pior”.

A gravidade da situação tornou-se ainda maior quando Filipa Poupinha soube que teria de aguardar sete meses por uma consulta no médico para começar a fazer medicação, “pois o tumor é líquido, ou seja, as células mortas que se acumulam numa zona do cérebro. Uma das principais causas é o stress, mas eu não funciono se não for sob stress. Quando é um cancro na mama, sabe-se o que é, mas este é completamente desconhecido, eu não fazia ideia do que era”, recorda. Perante esta “obrigação”, a jovem não baixou os braços e, passado um mês, foi consultada no Hospital de Santa Maria, “porque me mexi por outro lado, se não estava sete meses à espera. Aí, comecei a perceber o que se passava e a ficar mais esclarecida. O médico explicou-me que o meu caso não era dos mais graves e fiquei tranquila”.

A partir daqui, começaram os tratamentos: “O médico explicou-me que iria fazer um tratamento de iodo em comprimidos e que me poderia cair o cabelo – é como uma quimioterapia. Comecei em Março e ainda hoje continuo, mas não tem sido fácil, porque já fui parar ao hospital devido aos medicamentos me fazerem baixar a pressão arterial. Faço um mês de tratamento, paro uma semana e assim sucessivamente.”

Apesar de os tratamentos estarem a correr bem, Filipa Poupinha teve muitas dificuldades em aceitar a doença: “Tenho tido algumas ‘brancas’, mas também tenho a noção de que fui buscar uma força que não imaginava ter. mas a pergunta que ainda hoje faço é: ‘Porquê a mim?’”.

A terminar, um fio de esperança. A atriz regressou ao trabalho e fez uma participação em Remédio Santo, como Sónia: “Estou a gostar muito de gravar Remédio Santo, eles são cinco estrelas, principalmente o João (Catarré), que está sempre preocupado se estou à-vontade e a sentir-me bem”, concluiu.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close