TVI

Fátima Lopes feliz por trabalhar na “casa-mãe”!


Oito meses depois de ter trocado a televisão de Carnaxide pela de Queluz de Baixo, a apresentadora está cada vez mais contente e não esconde toda a sua alegria nas mais diversas entrevistas a órgãos de comunicação social.

É em conversa com a Correio TV desta semana que Fátima Lopes faz um balanço sobre os primeiros tempos na TVI: “Estar na casa-mãe facilitou muito a adaptação. No Agora é que Conta, apesar da facilidade de contacto com os colegas, não estávamos no mesmo espaço. Agora cruzamo-nos nos corredores, tomamos café, isso ajudou a conhecer as pessoas. Vir para aqui corresponde à realização de um sonho, porque sempre desejei trabalhar na casa-mãe. E na SIC nunca o fiz”, começa por dizer.

Já sobre o seu novo programa, a comunicadora não esconde a felicidade por regressar ao seu antigo registo: “O formato é aquilo que mais gosto de fazer: conversar com pessoas. Isto faz-me muito feliz a nível pessoal e profissional. Depois, tenho a sorte de trabalhar com uma equipa rodadíssima, competente e empenhada. Dedico-me exclusivamente ao meu trabalho. Não tenho de pensar em mais nada”, afirmou, acrescentando ainda: “Temos feito belíssimos números. Estamos felizes e estimulados”.

Entre críticas à falta de investimento nos tempos em que fazia parte dos quadros de Carnaxide e elogios à nova “casa”, a apresentadora falou ainda sobre a possibilidade de apresentar Mulheres Ricas: “Fui surpreendida com essa notícia. Estou na TVI, visto a camisola e se disserem que precisam de mim para apresentar um reality-show darei o meu melhor. Não tenho nenhum pudor em fazê-lo. Qualquer formato é válido se for feito com profissionalismo, classe, entrega e investimento”.

A terminar, Fátima Lopes confessou ainda que não aspira, para já, a um cargo na direcção de programas: “Nesta fase da minha vida, não. Se calhar um dia, quando os meus filhos já não precisarem tanto de mim. É um cargo de responsabilidade, exige muita dedicação. Há gente que está aqui 10, 12, 14 horas, às vezes até aos fins-de-semana. Para quem tem crianças pequenas e quer privilegiar a criação dos filhos, não é compatível. Os meus filhos merecem uma mãe presente. Quando forem mais crescidos e tiverem mais autonomia será diferente”.

 

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close