TVI

Conheça o final de «Hortense» em «Remédio Santo»

Sofia Alves

«Remédio Santo», de António Barreira, irá ter um total de 312 episódio e, o último, será escrito dentro de dias. «Vão haver muitas reviravoltas para todos antes do final. E não vão faltar surpresas até para as personagens mais inesperadas. Está a ser muito engraçado.», contou o autor à revista TV Guia. Entre essas surpresas está a gravidez da personagem «Evangelina» (Patrícia Tavares).

«Hortense» (Sofia Alves) vai terminar a novela num convento, para onde vai após a morte do seu quinto marido, «Zezé do Cabedal» (Vítor Norte). Mas, antes de ir para lá,  é surpreendida pela ex-amiga que lhe confessa que estás grávida de «Sebastião» (Pedro Caeiro). A viúva fica em choque e desmaia. «Hortense», que nunca aprovou a relação entre «Evangelina» e o filho, procura «Eugénia» (Sílvia Rizzo) para se aconselhar. A mãe de «Gonçalo» (João Catarré) diz que está na altura da amiga aceitar a decisão do filho, até porque ele e «Evangelina» já estão casados. «Hortensa» entra em histeria, mas «Eugénia» acalma-a e aconselha-a a terminar a zanga com «Evangelina». A viúva aceita o conselho e nesse mesmo dia dá a sua bênção a «Evangelina», mas traz também uma má notícia: cansada de ser conhecida como «viúva negra», pede ao filho que fique com o seu «Chantilli» e decide para ir para um convento, onde acredita que será feliz.

Em relação ao segredo de «Hortense», o mesmo já foi idealizado por António Barreira, mas não será revelado antes da recta final da novela da TVI. E, para que ninguém descubra os detalhes deste e de outros segredos, o autor da novela decidiu dar apenas por blocos a história a partir do episódio 309. Sendo assim, o final de cada personagem está apenas com o ator que interpreta essa personagem. «Estará tudo fechado a sete chaves», confidenciou o guionista à mesma publicação.

  • Alex M

    Obviamente, em bom português, se dizemos “HÁ muitas pessoas que dão pontapés na gramática” e não dizemos “HÃO muitas pessoas que dão pontapés na gramática”, então não podemos dizer, por uma questão de lógica, “VÃO HAVER muitas reviravoltas”. Os profissionais da escrita devem ser os utilizadores mais responsáveis da língua, devido à quantidade de gente que influenciam. Erros destes são crassos e perfeitamente inadmissíveis em quem trabalha em comunicação social. Depois queixem-se que a língua portuguesa é difícil e ilógica. Não é, só aqueles que não fazem o mínimo esforço para a entende é que a tornam ilógica, e por consequência inconsistente e difícil de usar, com os seus próprios erros.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close