TVI

Troca de atrizes mal aceite nos bastidores de «Destinos Cruzados»

Destinos-Cruzados

Destinos-Cruzados

Tal como o A Televisão tinha noticiado recentemente, Eunice Muñoz teve de abandonar a novela principal da TVI, Destinos Cruzados por motivos de saúde. Depois de uma intervenção cirúrgica em que retirou os nódulos da tiróide de forma a extrair um tumor, a atriz de 84 anos foi submetida a tratamentos de quimioterapia. E se a atriz chegou a regressar ao trabalho, agora foi aconselhada pela sua equipa médica a um repouso permanente. Algo incompatível com as gravações «a todo o vapor» da novela protagonizada por Alexandra Lencastre.

Assim sendo, a TVI decidiu substituir Eunice Munõz que interpreta a personagem Maria Helena pela atriz Maria de Lourdes Norberto, ausente desde 2009 com o desfecho da novela Podia Acabar o Mundo, da SIC. Divulgada a notícia, especulou-se como seria feita a sua entrada na novela, se seria numa nova personagem ou iria incorporar à mesma a antiga estrela de teatro que virou mendiga.

Por se tratar duma personagem que põe fim a um dos mistérios da história que «cruza destinos», a solução passou por dar continuidade à Maria Helena, desta vez interpretada pela atriz que também fez uma participação especial na novela Doce Fugitiva da TVI. Algo que não foi bem aceite dentro dos bastidores tal como noticia a revista TV Mais com testemunhos de atores.

À revista semanal, um ator aponta para a descredibilização que esta tomada de decisão acarreta tanto na personagem como na trama, «acabamos em julho. A Eunice fez este papel durante muito tempo. Que credibilidade dá ver outra pessoa no seu lugar? Era mais consensual que desaparecesse». Já outro ator colmata argumentando que «são duas atrizes muito distintas e diferentes, até fisicamente. Não vai resultar».

Resta-nos aguardar pela entrada em cena de Lourdes Norberto, para aferirmos quanto a esta alteração.

  • lolipop

    Concordo. são duas atrizes muito distintas e diferentes, até fisicamente.

    • candy

      Olha eu concordo de certa maneira consigo acerca das não parecenças mas a historia têm de ter coerência e não pode assim fazer desaparecer uma das personagens mais mediáticas ”O grande amor do Inácio”,não vão fazer um final triste como a morte da personagem seria um final demasiado triste para um núcleo que tem obrigatoriamente de ter um final feliz 🙂

  • Fã Incondicional

    Meu deus !! ADORO ESTA NOVELA
    É tao radicall!! Temos duas mulheres iguais, e agora uma mendiga que sofre metamorfoses e mudar de fisico de um episodio pro outro!!

    • kkkkkkkkkkkkkkkk

      esta novela é a novela masi fixe que tá dar…

    • Dizem que foi a Alexandra Lencastre que lhe indicou o seu cirurgião plástico xD

  • Filipe

    Criatividade TVI
    A sinopse da novela “O Outro”, de Aguinaldo Silva (Globo 1987):

    “A trama se desenrola entre os diferentes mundos de dois homens idênticos fisicamente.

    O empresário milionário Paulo Della Santa é um homem atormentado com a família e os negócios em crise. A esposa, Laura, luta para manter o casamento, apesar da torcida contra de Marília e Pedro Ernesto, filhos de Paulo.

    O negociante Denizard de Mattos, dono de um ferro-velho, é uma figura simples, do povo. Viúvo, pai da adolescente Zezinha, ele mantém um caso amoroso com a esfuziante Índia do Brasil, sua secretária.

    Paulo vive sem saber que tem um sósia, Denizard de Mattos, e, por acaso, ambos se encontram no banheiro de um posto de gasolina, momentos antes de o lugar explodir e incendiar-se. Resgatado no lugar de Paulo e confundido com ele, Denizard acaba por tomar o lugar do empresário e, mesmo depois que seu segredo é descoberto, a farsa é mantida por interesse dos adversários que desejavam tomar o poder de seu sósia. Entretanto, aproveitando-se da troca de identidade, Paulo decide lutar para retornar e retomar seu lugar de direito.

    Paulo, desaparecido, é dado como morto, e Denizard, com amnésia, ocupa o seu lugar ante a família e os negócios, sem que ninguém desconfie de sua verdadeira identidade. De um lado está a família de Denizard, preocupada com o seu sumiço; do outro, está a família de Paulo, tentando reintegrar um homem sem memória ao convívio de todos.

    Mas a troca de identidade dos sósias não é segredo para a hippie Glorinha da Abolição, uma jovem à procura do pai e de suas origens, e que já foi apaixonada por Paulo Della Santa.”

    FONTE: Wikipédia

    • candy

      Meu bem, vens-te basear na creatividade de um canal por uma novela? A TVI sempre foi a melhor produtora de ficção/entretinimento nacional! Já agora parece que a sic tambem anda a ser alvo de algumas ”copias” de outras novelas! vai ver as noticias recentes ;D
      A TVI tem sido sempre a melhor produtora de ficção por isso ^^

      • Filipe

        Em primeiro, uma coisa chama-se espírito crítico, outra chama-se fanatismo televisivo. Eu falei da SIC?
        Não me baseei numa novela, dei apenas um exemplo entre tantos que a TVI apresenta. Basta olharmos para os inúmeros “Anjos Selvagens” que a TVI já produziu onde além de trocar os protagonistas e o nome da trama, pouco muda.
        Não olho para as estações de televisão como quem olha para um clube de futebol, quem o faz, é estúpido.
        Ninguém tira o mérito à TVI pelo impulso dado à ficção nacional. O que se passa é que abusou e desgastou formulas e atores. Vulgarizou o formato “novela”, cansou o público.
        Como já aqui disse, vale mais um “remake” assumido do que uma cópia descarada!

        • candy

          Olha uma coisa a telenovela ”Anjos Selvagens” foi uma adaptação assumida ninguém andou com falsos moralismos!E não acho de todo que a TVI tenha vulgarizado o formato novela como podemos ver na novela ”Remédio Santo” nomeada para um Emmy Internacional vimos uma temática bem diferente do que estávamos acostumados abordava vários temas como a morte,a vida, o bem e o mal e também um tema que move multidões:A Religião.

          • Filipe

            1º – Ninguém disse que “Anjo Selvagem” não foi uma adaptação assumida. O que a TVI fez em novelas seguintes foi replicar e desgastar a fórmula do triângulo amoroso entre a “mocinha”, galã rico e a namorada má que se prolongam por 300 a 400 episódios (Caso de Remédio Santo).
            2º – Algumas novelas têm sim um conceito interessante e original, “Remédio Santo” (que até comecei a ver) parecia ser um desses exemplos. O que acontece é que ao fim de 1 mês de exibição, toda essa novidade desvanece e cai-se em mais do mesmo.
            3º – A prova de que a TVI vulgarizou o formato “novela” é a recente perda de público para outras produções, já para não falar das sucessivas mudanças de horário. Chegou ao cúmulo de ter 4 novelas em exibição seguidas no horário nobre o que dá um grande desgaste de imagem quer de atores quer de autores.

            A Globo, tem regularmente 3 novelas em exibição. A das 6, normalmente de época ou drama e de menor duração; a das 7, por norma de formato cómédia; e a novela das 9, o chamado “novelão” destinado aos grandes autores da estação e que tem ao mesmo tempo uma função de abordar temas da atualidade e desempenhar um papel didático na sociedade.

          • candy

            1ºNós estávamos a debater sobre novelas que eram copiadas e você deu o exemplo de ”anjos selvagens”,logo deu a entender que achava que Anjos selvagens era uma copia, o que não é verdade!

            2º-Remédio Santo acho que sim andou em triangulo amoroso mas nunca abandonou a tematica da religiao, do bem e do mal etc… tanto que uma das grandes perguntas era ”Quem era a Morte?” e era um dos nucleos mais importantes da historia entããão…

            3º-Sempre ouvi dizer e é verdade é o publico que faz as novelas olhe o caso de ”Mundo ao Contrario” é o exemplo do NÃO TRIÂNGULO AMOROSO e poucas pessoas acompanham a novela então é uma das razoes para fazerem novelas assim, e como voce diz que havia triangulo amoroso(entre outros núcleos) em ”Remédio Santo” havia e entao foi um sucesso em audiencias :p! Na questão das 4 novelas no horario eu só me lembro de no máximo haver 3 novelas,não sei onde foi buscar a ideia de 4 novelas but…

          • Filipe

            Acho que tenho sido bastante claro e sucinto no que disse. Se o interpretas de outro modo, fico-me por aqui.

    • Mafalda A.

      Até gosto de «Destinos Cruzados» mas é realmente é uma cópia descarada de outras novelas. Nem conhecia esta novela que fala, mas uma que também me parece muito semelhante é a novela mexicana «La usurpadora». Enfim, parece que já está tudo inventado e não há quem faça coisas novas.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close