TVI

Andreia Teles honrada por contracenar ao lado dos atores de «Destinos Cruzados»

andreia
Em «Destinos Cruzados» a atriz Andreia Teles é «Vicky», uma manequim em fim de carreira

Depois de apresentar na TVI, Sempre a Somar, Portugal Low Cost na RTP e Brinquedos de Luxo no Porto Canal, Andreia Teles vive agora a sua primeira grande experiência na representação, com a personagem Vitória da novela Destinos Cruzados da estação de Queluz de Baixo.

A contracenar ao lado de nomes como Alexandra Lencastre, Virgílio Castelo ou Sofia Alves, a manequim não se amedronta. «Estou a adorar e vejo isso mais como uma honra do que como uma situação de stress. Pode parecer estranho, mas não passei por esse nervosismo. A minha preocupação é estar à altura e dar o meu melhor, especialmente pelos que apostaram em mim e me escolheram para este papel. Em nenhum momento achei, ou acho, que estaria à altura da experiência e do talento de muitos dos atores deste elenco. Nunca coloquei uma fasquia tão elevada para mim. A minha fasquia é dar o meu melhor. Não me sinto, sequer, na obrigação de ser tanto ou mais do que eles. Sei muito bem qual é o meu lugar», contou a atriz em entrevista à revista FLASH!.

Ainda a dar os primeiros passos na representação, apesar de algumas participações especiais em produções da Plural, a atriz mostra-se muito critica quanto ao seu trabalho em televisão. «Só vejo defeitos. Na forma de representar, fisicamente… enfim, é complicado. Este é o primeiro impacto. Com o tempo começamos habituar-nos à nossa imagem e a ver para além daquilo. Ainda assim, a imparcialidade total não existe», garante em conversa com a revista do grupo Cofina.

Apesar das semelhanças com Vicky, uma manequim em final de carreira, a atriz admite não ter muito que ver com a personagem que interpreta. «Ela era quase uma top model e convive muito mal com o passar dos anos. Eu não vivo esse drama», assegura e acrescenta: « Acho que isso tem que ver com o facto de sempre me ter preocupado em fazer outras coisas para além da Moda. Ainda assim, ainda na Moda, há a alternativa de enveredar por se ser manequim comercial, que é o meu caso. Quanto à idade, não lhe digo que não me cuido e que gostaria de evitar o aparecimento das primeiras rugas, mas sei que isso é impossível», finalizou que estrela a capa de maio da revista masculina Maxim.