TVI

Acidente em «Dança com as Estrelas» investigado

Fonte: Correio da Manhã
Fonte: Correio da Manhã
Fonte: Correio da Manhã
Fonte: Correio da Manhã

A 28 de julho, dia de estreia de Dança com as Estrelas da TVI, José Luís Gonçalves, um dos concorrentes do programa, sofreu um violento acidente que o deixou em risco de vida: horas antes da estreia, o ex-toureiro, de 43 anos, caiu de umas escadas com quase três metros de altura e sem protecção lateral, fazendo-o sofrer um traumatismo cranio-encefálico e fractura de costelas. Agora, a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) está a investigar as condições de segurança do estúdio da produtora Endemol.

A ACT já cofirmou que foi aberto um «processo de averiguação» para fiscalizar as «condições de segurança» daquele cenário, onde continuam a decorrer os ensaios e as galas do programa, segundo avança o jornal Sol. Os inspectores do centro de Torres Vedras querem perceber se foi afastado o risco para os restantes concorrentes e funcionários que circulam naquele espaço. Tanto a TVI como a Endemol não esclareceram se, desde o acidente, foram feitas alterações no estúdio.

Fonte da estação de Queluz de Baixo adiantou que, independentemente da evolução do estado clínico do concorrente, o programa vai manter-se no ar. «A realização de um programa de televisão é uma actividade económica regulada», sublinha fonte oficial da ACT, explicando que este organismo, que fiscaliza condições de trabalho de empresas públicas e privadas, pode averiguar os «riscos profissionais de trabalhadores expostos (cenas perigosas, posturas incorrectas e movimentação manual de cargas)», incluindo «instalações e equipamentos de trabalho».

Os inspectores também irão avaliar se, durante a montagem do cenário, a Endemol fez uma «avaliação de riscos, um procedimento que é obrigatório por lei e que consiste em identificar fatores que podem conduzir a acidentes. Em caso de incumprimento, a produtora incorre numa contra-ordenação muito grave, podendo ser condenada a pagar uma multa que pode atingir mais de 61 mil euros. A ACT pode mesmo determinar a suspensão do programa «caso os inspectores concluam que o acidente em causa, mesmo que não seja de natureza laboral, é revelador de situações particularmente graves de insegurança», disse Paula Caldeira Dutschmann, especialista em direito laboral, ao mesmo jornal.

A Endemol, que também estava obrigada a comunicar à ACT o acidente que causou lesões graves ao concorrente – e devia tê-lo feito nas 24 horas a seguir à queda –, não esclareceu se essa participação chegou a ser feita. Uma omissão pode valer mais uma multa, por contra-ordenação grave.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close