TVI

«A Tua Cara Não me é Estranha» regista pior resultado desde a estreia

a tua cara nao me e estranha 3

a tua cara

Ontem, o programa das noites de domingo da TVI registou o seu pior resultado nas audiências, que ainda assim, deu para vencer o Vale Tudo da SIC.

Segundo as audiências disponibilizadas pela GfK, a sexta gala de A Tua Cara Não me é Estranha teve uma média de um milhão, 402 mil e 200 espectadores, e um share de 34,8%. Foi ainda o programa que teve o minuto de ouro do dia, às 22h22, com 18,2% de audiência média e 36,6% de quota de mercado. Na concorrência, o Vale Tudo ficou ainda a alguma distância do programa de Cristina Ferreira e Manuel Luís Goucha. Apresentado por João Manzarra, o formato da SIC ficou no milhão e 41 mil espectadores em média, e uma quota de mercado de 25,7%. Da RTP1, o horário nobre foi composto por Depois do Adeus (obteve 406 mil e 100 espectadores e 8,2% de share), pela estreia do documentário Vermelho Brasil, com 337 mil e 500 espectadores e 7,1% de share e pelo filme Passageiro 57 com 232 mil e 300 espectadores e 6,4% de quota de mercado.

No total do dia, a TVI venceu com uma média de 28,4%, seguida do conjunto de canais cabo, 26,8%, e da SIC (22,1%). O item Outros, que engloba visualizações de gravações de programas e outras utilizações do ecrã de TV ficou à frente da RTP1, com 11,1%, contra os 9% registados pelo canal 1 da RTP. A RTP2 ficou nos 2,5%.

  • Tomás Santos

    Pudera, se tivessem realmente bons cantores como nas edições passadas teriam melhores resultados. As únicas pessoas dali que de facto “cantam” são a Wanda Stuart , o Francisco Menezes e uma vez ou outra a Inês Santos, e mesmo assim encontram-se num nível muito inferior em relação a concorrentes de edições passadas. Se em vez de se focarem na palhaçada dos apresentadores e Júri, recrutassem melhores concorrentes. Isto não aconteceria..

  • Su

    Eu quase nem vejo esse programa como uma programa de imitações. Emboram tenham o boneco, não se dão ao trabalho de imitar tal e qual os cantores como aconteceu na primeira e segunda edição. Se bem que na segunda edição a Luciana Abreu na minha opinião a maioria das vezes não imitava mas limitava-se a ser ela própria. É o que acontece nesta edição, principalmente com o Nicolau Breyner que é sempre ele próprio, não imita.

  • jd

    Vermelho brasil nao é 1 doc. É 1 série internacional em inglês e dobrada em frances

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close