Globo

Conheça os segredos da «fábrica de sonhos» da TV Globo

Projac Central Globo de Produção

Projac, ou Central Globo de Produção, é onde os sonhos da ficção brasileira se tornam realidade. Situado em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro, o Projac foi inaugurado em 1995 e é considerado o maior núcleo televisivo da América Latina, tendo demorado quase 15 anos a ficar pronto.

«Hoje, impressionamos os estrangeiros com a nossa qualidade. Para ultrapassarmos Hollywood só falta termos mais tempo para produzir. Estamos perseguindo isso.», disse Mário Monteiro, diretor de arte da Globo, à revista TV 7 Dias. «Não pensamos só em produtividade. Somos uma indústria de sonhos e trabalhamos com paixão.», acrescentou Edson Pimentel, diretor executivo, à mesma publicação.

No Projac, a «fábrica dos sonhos», tudo é feito e pensado ao pormenor, desde os figurinos à montagem dos cenários, passando pela manipulação de efeitos, como a chuva, o vento e até os acidentes. «É tudo de mentirinha, tudo previamente pensado e preparado. As fachadas das casas, os cafés e restaurantes… É capaz de estar um dia lindo de sol na rua, mas no Projac faz o tempo que um autor quiser.», explicou Iracema Paternostro, trabalhadora da TV Globo há cerca de 21 anos. Os materiais que podem ser perigosos ou pôr em risco a vida das pessoas, como o vidro, são pouco utilizados: «Preferem o acrílico, a fibra ou a madeira. As telhas são falsas, em acrílico, e pintadas da sua cor para parecerem reais.», acrescentou. Nas 17 cidades cenográficas, que ocupam uma área de 160 mil metros quadrados, são produzidas fachadas e interiores desmontáveis, que estarão em cena durante seis ou sete meses, aproximadamente o tempo de produção de uma novela. Um bairro de favelas pode ser construído, por exemplo, ao lado de uma praça do século passado ou de uma mansão de luxo. Para «Gabriela», que estreia dia 10 de setembro na SIC, foram construídos uma praça, uma escola, uma igreja e o famoso «Vesúvio», de «Nacib» (Humberto Martins). Desde os candeeiros (comprados em lojas vintage ou recuperados), às mobílias, tudo é pensado ao pormenor.

As roupas, confecionadas no Projac, são organizadas por época e década, e os chapéus e sapatos são alinhados. «O autor da novela é que manda. Tudo é colocado no local indicado por ele. Cada novela tem a sua equipa de cabeleireiros e maquilhagem. Os atores transformam-se por completo! Nas novelas de época, as peças são todas confecionadas e dá um trabalhão! Estas mãozinhas valem ouro», contou Iracema à TV 7 Dias. As medidas de cada ator estão informatizadas e, antes de cada novela, os dados são confirmados. Para dar vida às personagens, os atores têm também que passar por transformações; por exemplo, para «Gabriela», Juliana Paes e Suzana Pires tiveram de mudar o seu visual para interpretarem «Gabriela» e «Glória», repetivamente, passando a usar extensões no cabelo, roupas de época, unhas pintadas em meia-lua, entre outras coisas.

O Projac dispõe ainda de uma área de apoio ao funcionário, que inclui centro de fisioterapia, acupunctura, dentista, centro médico, agência de viagens, entre outros. A cantina é frequentada por todos os trabalhadores, desde os funcionários, passando pelos técnicos até aos atores. Para além de novelas e outros produtos de ficção, o entretenimento passa pelo Projac, como o «Big Brother Brasil», «Zorra Total» ou «Domingão do Faustão», entre muitos outros programas de outras áreas que fazem parte da TV Globo.

Tal como A Televisão avançou anteriormente, a TV Globo abriu agora as portas do Projac. Numa visita virtual, os telespectadores poderão percorrer 13 ambientes, através de fotografias panorâmicas de 360 graus. Esta é uma forma de ficar a conhecer por dentro a «cidade dos sonhos», mesmo à distância.

/* ]]> */