SIC

SIC aposta em humor e em mais informação

A estação de Carnaxide mudou os programas de acesso ao horário nobre e anuncia mais comédia e ficção nacional. Novos canais são uma possibilidade e Nuno Santos promete maior estabilidade nos horários

Canal reforça proximidade com ‘Nós por cá’

A SIC apresentou ontem novos programas para a sua grelha, prometendo muito humor, maior estabilidade nos horários, diversidade de formatos e estar mais próxima dos cidadãos, sobretudo apostando numa das imagens de marca da estação: a informação. É esta, em traços gerais, a identidade que o canal começa a imprimir já a partir desta semana e que, segundo Luís Marques, director-geral, e Nuno Santos, director de Programas, se vai intensificar nos próximos meses.

Para já, foram apresentados cinco programas: a telenovela brasileira Três Irmãs, o programa de informação Nós por cá (ambos no ar desde ontem), o concurso Atreve-te a Cantar, apresentado por Bárbara Guimarães, que começa no domingo à noite, Mário Crespo Entrevista, às segundas entre as 21.00 e as 21.30, e Aqui e agora, um programa de grande debate, conduzido por Rodrigo Guedes de Carvalho, ainda data para a sua transmissão.

Em relação a novos programas de humor, Nuno Santos explicou: “Eu sei mais do que posso falar. Ainda não é o momento certo para dizer quais são. Mas teremos uma nova série de programas do Camilo de Oliveira, que deverá começar em Abril/Maio ou depois do Verão.”

Quanto ao regresso de Herman José, após o fim do concurso A Roda da Sorte, o director de Programas não quis adiantar nada, mas revelou que tem tido conversas com o humorista. Os Gato Fedorento deverão regressar na última metade do ano, mas “sempre que se justifique, aparecerão ao longo do ano”. Ainda no humor, no domingo, estreia-se o Toma lá, Dá cá, um formato brasileiro muito semelhante a Sai de baixo, com o actor Miguel Falabella.

Já no domínio da ficção, “vai estrear-se brevemente uma série sobre Salazar, emitida em dois dias”, referiu o director de Programas da SIC.

A telenovela Podia Acabar o Mundo já tem substituta, também uma produção nacional. “É um assunto que está a andar e a história já foi escolhida”, afirmou Nuno Santos.

Confrontado com as fracas audiências do produto, respondeu: “Faz parte da nossa estratégia sermos pacientes e resistentes. As telenovelas brasileiras têm vindo a perder nas temáticas, por isso as portuguesas só têm a ganhar.”

Na informação, além de Nós por cá, Mário Crespo Entrevista e Aqui e agora, o Jornal da Noite mantém algumas rubricas de 15 minutos e lança novas: Primeiro Plano, Reportagem Especial, Perdidos e Achados, Receitas Cruzadas e Futuro hoje.

Questionado sobre novos canais da SIC, Luís Marques disse haver algumas hipóteses, sobretudo no âmbito da “produção de conteúdos para multiplataformas”. Estes podem ser na Internet ou na televisão. O director-geral do canal acrescentou ainda: “Temos de pensar o que deve ser um operador de televisão privado face aos desafios do mercado nos próximos anos – quinto canal, TDT e possibilidade de mais canais regionais. Temos de estar à frente dessa mudança.”

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close