SIC

Rogério Samora está em depressão devido a “Rosa Fogo”


Depois do simpático Miguel de Mar de Paixão, o ator está de regresso aos ecrãs com o terrível vilão José da Maia da nova telenovela do canal de Carnaxide. Contudo, desengane-se quem pensa que tem sido fácil para Rogério Samora dar vida a esta personagem:

“O vilão é demasiado vilão e está a dar cabo de mim! Estou num vendaval, num turbilhão de emoções. É o meu melhor período profissionalmente e o pior emocionalmente. Esta personagem exigia uma proteção muito grande e eu não me protegi”, começa por dizer o ator à edição desta semana da revista Nova Gente, acrescentando: “Até já fui agredido na rua. Estava no autocarro ontem e uma senhora apareceu para pedir esmola. Quando me reconheceu disse: ‘Ai é ele!’ e deu-me uma estalada. Chamou-me ordinarão e pulha! Nunca me tinha acontecido e não estou a gostar. Sinto-me uma pessoa com más ações”.

Ainda de acordo com Rogério Samora esta reviravolta deu-se de repente, mas as consequências estão, de facto, a tornar-se perigosas: “A personagem está a tomar conta de mim. Tomo comprimidos para acordar, para adormecer… Tive que recorrer ao psiquiatra e estou a tomar antidepressivos. Estou com muito medo da personagem, porque estou a absorver tiques, especialmente o olhar e o sorriso… É muito estranho. Até tenhjo medo de olhar as pessoas de frente”, frisou.

Apesar de confessar que “não estava preparado para interpretar um papel tão maquiavélico e denso”, a estrela da SIC diz que à frente da sua vida e do seu equilíbrio está a personagem: “Não, nunca vou parar ou desistir. O mais importante é a minha personagem. A SIC paga-me muito bem para fazer o meu trabalho. Nem que tenha de morrer a meio. Se tiver de suicidar-me não me importo!”, frisou, acrescentando: “Tenho trabalhado muito. Basicamente vou dormir a casa, oito horas por dia e pronto. Às vezes nem tomo banho, vou logo direto para o estúdio. Tenho andado alienado, estou a pairar”, concluiu.