SIC

“Podia Acabar o Mundo” promete mais actualidade

A nova novela portuguesa da SIC, escrita por Manuel Arouca, começou no dia 1 deste mês. Com dificuldade em se impôr em relação às novelas da TVI, a novela, que trás vários temas actuais, promete abordar situações que andam na ordem do dia. E isso acontecerá já esta semana.

Cerca de 30% de share a novela da SIC da novela da TVI. Enquanto que “Podia Acabar o Mundo” atinge 15% de share, “Feitiço de Amor” e “Olhos nos Olhos” chegam aos 45% (valores aproximados).

“O feedback que tenho tido sobre Podia Acabar o Mundo tem sido muito positivo”, diz o autor, Manuel Arouca, ao jornal “Diário de Notícias”. Em relação à receptividade da história por parte do público, o autor diz que “Há que ter paciência… Estamos a acreditar no produto. Temos a esperança e a convicção de que a telenovela ainda vai agarrar mais os espectadores. Temos uma telenovela forte, diferente…”.

Quanto às baixas audiências, o autor da novela diz que “Eu não tenho acesso a esse tipo de análise. A única coisa que posso dizer é que, como em todas as coisas, as dificuldades se ultrapassam com muito trabalho”, realçando que “Uma telenovela é o trabalho de uma grande equipa, que envolve direcção de programas, produção, actores, técnicos… Trabalhamos sempre, independentemente dos resultados.”.

Mas, para inverter esta situação, vai-se apostar na actualidade, com situações reais que sejam muito presentes. “Desde o início que existe uma estratégia montada. As histórias vão ficar cada vez mais fortes”, explicou Manuel Arouca. “Neste momento existe uma diferença de 20 episódios entre a escrita e a transmissão. Ainda esta semana vai ser falada a questão dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo e o jogo Portugal-Suécia, por exemplo. Haverá mais actualidade na telenovela. Mas esta era uma estratégia que estava montada desde o início”, acrescenta.

Apesar das audiências, Manuel Arouca não está desiludido com o resultado final. “Estamos muito contentes com a qualidade do produto. Tenho pena que a comunicação social não faça uma crítica às telenovelas, como já se fez. Gostava de ver os media a analisar a qualidade da ficção que se faz…”, conclui.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close