SIC

“Podia Acabar o Mundo” estreia hoje

Hoje, após o “Jornal da Noite”, por volta das 21:20, estreia o novo produto de ficção nacional da SIC, “Podia Acabar o Mundo”. A novela, que aborda, logo no início, o drama do regresso dos retornados, misturando o rural com a vida citadina, promete muitas emoções fortes. A novela vai ter muita paixão, amor e intriga à mistura.

A ficção inicia-se a preto e branco, no ano de 1975, aquando da independência das ex-colónias portuguesas, e do retorno de muitas famílias a Portugal. As imagens desses tempos alternam-se com as dos dias de hoje no primeiro episódio da nova novela portuguesa que hoje se estreia na SIC.

“Acho que o arranque é especialmente forte, porque pega num tema que hoje parece um pouco esquecido nas nossas agendas, mas que na verdade é uma situação-chave da vida portuguesa dos últimos 35 anos”, afirmou ontem o Director de Programas da SIC ao jornal “Diário de Notícias”. Um assunto “que toca milhões de pessoas, umas de forma directa e outras de forma indirecta, e que é a questão dos retornados”, disse Nuno Santos aos jornalistas, depois da exibição do primeiro episódio da novela.

“Gostei”, confessou o responsável. “O grande desafio era ter a capacidade de transformar a boa história em papel [escrita por Manuel Arouca] num bom produto de televisão.”. E Nuno Santos acrescenta que “acho que temos um primeiro episódio que é forte, e que lança uma série de pistas acerca da história”, ou acerca do cruzamento de histórias de que é feito uma novela.

“é uma história totalmente aberta”, explicou Manuel Arouca, autor da novela que se irá desenrolar em função da reacção dos telespectadores e da química que se revelar entre actores.

A história…

No primeiro episódio

“Rodrigo Louro” chega a Lisboa ainda ao colo da mãe, a bordo do navio Gil Eanes. No momento em que se separa da família para ir buscar as malas, o seu pai é vítima de uma tentativa de homicídio, a mando do então jovem “Eduardo Morais”. Uma tareia que deixa o major “João Maria” às portas da morte e que lança sobre a família de “Rodrigo” um clima de suspeição.

O casal decide então fazer vida no Brasil, até que, um dia, um desastre de avioneta deixa “Rodrigo” sem pais. Aos 12 anos, o rapaz é acolhido pela família da sua tia, “Joana Álvares” que cria o menino como se de um filho se tratasse.

Quando a imagem ganha cor, “Rodrigo” está quase a pôr os pés no tribunal. Em causa está a custódia do filho, que disputa com “Vera Sarmento”. É uma mulher moderna, uma advogada de sucesso que o ex-marido acusa de ter abdicado da família em benefício da carreira.

Vera trabalha para o conhecido “advogado do Diabo”. Em cima da secretária do patrão está uma fotografia de quando este era novo: não há dúvida, é a mesma pessoa que, anos antes, foi responsável pelo ataque ao pai de “Rodrigo”, ex-marido de “Vera”. Mas isso é algo que só o telespectador e “Eduardo” sabem. E, ao que parece, mais uma personagem…

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close