SIC

Luís Marques comenta insucesso do «Ídolos»

Chegou ao fim no passado domingo a quinta edição do talent show que acabou com a vitória de Diogo Piçarra. Desde o primeiro programa que as audiências foram caindo a pique. No momento da despedida, é tempo de balanços e foi isso que o diretor geral da SIC fez, em conversa com o jornal Diário de Notícias.

“A quinta edição de Ídolos desempenhou bem o seu papel, ainda que as audiências tenham sido inferiores às das edições anteriores”, afirma Luís Marques, que justifica os resultados com duas variáveis: “Temos um novo painel de medição de audiências e a concorrência tinha um excelente produto.”

Já sobre a grande final, o responsável afirma: “A final teve a audiência que teve”, explicou, acrescentando: “Foi mais por mérito da concorrência que o Ídolos não ganhou, porque semana a semana teve sempre um desempenho aceitável. Em televisão uma vez ganha-se, outras não.”

A terminar, Luís Marques elogia a “excelente produção” da Fremantle Media, a dupla de apresentadores formada por João Manzarra e Cláudia Vieira, e o júri, que juntou pela primeira vez Tony Carreira e Pedro Abrunhosa, além de contar com a apresentadora Bárbara Guimarães no papel de jurada. “Foi muito bom trabalhar com personalidades das quais nos orgulhamos”, conclui.

 

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close