SIC

«De Volta a França» hoje na «Grande Reportagem SIC»

Com a crise mais do que instalada, cada vez mais jovens decidem mudar de rumo e sair do país, rumo a novas culturas, novas oportunidades de vida. Há uns anos, França era o destino mais escolhido. E atualmente parece que voltou a estar na rota da emigração portuguesa. A Grande Reportagem SIC foi à procura de emigrantes portugueses e descobriu três exemplos desta nova vaga que, com o apoio da comunidade luso-descendente  em França, tentam dar um novo rumo à vida.

Quando a miséria tomou conta de um “Portugal amordaçado”, como Mário Soares lhe chamou, a França foi “pátria-refúgio” de milhares de portugueses. Quarenta anos depois, com o país mergulhado numa crise económica sem precedentes, milhares de homens e de mulheres  voltam a encarar a quinta maior economia do mundo como uma tábua de salvação.

 

Vítor Rosa tem 41 anos, dois filhos e uma licenciatura em sociologia.

Durante 10 anos, foi quadro técnico da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo. Em 2008 foi “dispensado por decreto”, como faz questão de frisar e, desde então, nunca mais conseguiu um emprego estável. Em janeiro rumou à capital francesa. Pouco tempo depois ficou sem dinheiro e teve de recorrer à Santa Casa da Misericórdia de Paris e ao “Resto du Coeur”, uma espécie de “sopa dos pobres” dos franceses. Conseguiu, entretanto, um emprego, e já não pensa voltar a Portugal. Diz que se “divorciou do país no dia em que entrou no avião para a capital francesa”.

Sandra Raimundo é uma reincidente.

Após vários anos de trabalho em França, convenceu o marido a regressar às origens, na região de Alcobaça. Achou que era chegado o momento de refazer avida junto da mãe e dos irmãos, mas rapidamente se apercebeu que, afinal, o país não lhe oferecia condições mínimas de subsistência.

Regressou a França, a Poissy, com uma certeza na bagagem: “Se tiver de passar fome prefiro passar fome no meu país, mas aqui só passa fome quem quer”.

Miguel Brito tem 43 anos e é empreiteiro nos arredores de Paris.

Emprega cerca de 40 portugueses, mas todos os dias lhe batem à porta a pedir trabalho.

“Difícil, mesmo, é arranjar alojamento”, explica o empresário da região de Braga que improvisou uns quartos, nas traseiras do escritório da empresa, para abrigar, temporariamente, quatro dos seus empregados. A verdade é que dois deles já ali moram há dois anos e meio. “Não lhes cobro um tostão” – diz Miguel Pires. “Só não quero que passem o que outros passaram, há muitos anos, quando vieram para França”.

De Volta a França é a Grande Reportagem SIC deste domingo. Um trabalho do jornalista Carlos Ricco, com imagem de Miguel Carlos Cabral e edição de António Soares.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close