SIC

Bastonário da Ordem dos Médicos critica declarações de Maya

Maya Cartas da Maya o Dilema

Foi numa das últimas edições de Cartas da Maya – O Dilema que, durante mais uma consulta, a taróloga recomendou a uma telespectadora que contrariasse uma indicação médica. “Sugiro que vá a uma clínica e não a uma urgência hospitalar, porque não têm dado a devida atenção ao seu caso. Têm tentado resolver, mas sem conseguirem. Te de ir a uma clínica, ou seja, pagar para ter saúde, porque precisa de ser operada para ser tratada convenientemente. A sua situação tem solução, mas não está a ser bem conduzida, de todo”, afirmou Maya.

Mas estas declarações não caíram bem junto do Bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, que, em declarações à revista Notícias TV desta semana classificou a intervenção de Maya “abusiva”: “Dizer em direto que a doente está a ser mal seguida é errado, principalmente vindo de uma pessoa que não tem qualquer formação médica. É muito grave que ela tenha passado um atestado de incompetência ao médico que seguiu o caso dessa senhora sem sequer conhecer o seu historial”, começa por dizer.

O bastonário da Ordem dos Médicos afirmou ainda que esta situação não devia ter acontecido: “Ela não pode nem deve aconselhar um doente contrariando uma indicação médica. É um abuso que pode causar malefícios ao paciente. A Maya, com a sua aparente segurança a falar de assuntos médicos, pode levar doentes menos informados a terem atitudes menos corretas”, explicou.

Confrontada com estas declarações, Maya defende-se: “O meu programa já está no ar há algum tempo e temos recebido um retorno muito positivo de quem nos liga. Nunca me aconteceu reclamarem de alguma coisa que eu tenha dito”, começa por dizer, acrescentando que o seu discurso pauta pelo “cuidado e rigor” e que tem uma “grande eficácia nessa área”. A taróloga explicou ainda que graças aos seus concelhos uma figura pública, cujo nome preferiu não revelar, evitou uma tragédia: “Aconselhei essa pessoa a ir ao médico porque tinha um problema cardíaco. Felizmente ouviu-me, foi ao hospital e verificou que eu tinha razão”.

A terminar, Maya aproveitou ainda para deixar um recado à classe médica: “Não acredito que falhe, mas se calhar, não falho mais do que alguns médicos”.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close