SIC

Bárbara Guimarães expectante com “Portugal Tem Talento”

Prestes a estrear o novo talent-show da estação de Carnaxide, Bárbara Guimarães demonstrou-se bastante ansiosa e satisfeita com o novo programa da SIC. Portugal Tem Talento promete colar os telespectadores aos ecrãs, criando momentos de verdadeiro entretenimento. Sem grandes expectativas ao nível das audiências, a mulher de Manuel Maria Carrilho afirma que apesar de o programa ter tudo para vencer, são os portugueses que decidem: “Eu gostava que este programa fosse um grande sucesso em Portugal. As audiências são as pessoas e, portanto, quanto mais pessoas estiverem a ver, maior é o sinal de que valeu a pena investir num programa como este, que valeu a pena pôr o país a interrogar-se se tem talento”.

Ciente de que tem em mãos um projecto que irá ser uma das grandes estreias do ano, e um dos grandes desafios da sua carreira, a apresentadora reforça que tem sido um prazer continuar a colaborar com o canal de Pinto Balsemão. Afinal, o apoio de Luís Marques para Portugal Tem Talento tem sido fenomenal: “O Luís Marques ficou contente com a minha satisfação e motivação para apresentar este programa. Ele transmitiu-se esse lado de ficar agradado com a minha satisfação… Penso que faltava à SIC arriscar! Correr riscos! E correr riscos é investir, isto é uma grande audácia e é bom estarmos todos no mesmo barco à conquista de telespectadores”.

Em relação à chegada de Júlia Pinheiro na SIC, Bárbara Guimarães não tem dúvidas de que essa foi uma das grandes aquisições da estação desde os últimos anos. Não se sentido ameaçada com a sua nova colega, a apresentadora confessa que tem todo o gosto em partilhar o terceiro canal com a mulher de Rui Pego: “É a grande contratação da SIC, claro que sim. Ela é uma estrela! Vi-a sempre assim. Para mim, a Júlia nunca saiu da SIC”.

Por fim, e em relação ao seu último programa, Bárbara Guimarães comentou os maus resultados de M/F: Sarilhos em Casa. “Fiz o MF com muita energia e trabalho, tenho a certeza que dei o meu melhor, mas sempre disse, desde o início, que o formato era híbrido. E num formato híbrido há reacções híbridas por parte do público. Nunca se percebeu bem o que aquilo era. O MF não era consistente. Eu e o Eduardo Madeira demos o melhor, apesar de não o compreendermos. Portanto, ainda bem que saiu do ar. Nunca o considerei um bom programa. Portugal Tem Talento é um bálsamo, está bem definido, sabemos bem o que queremos”, explicou à TV Guia desta semana.

Tags

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close