SIC

Atores justificam sucesso de “Laços de Sangue”


É na rubrica Conversas de Café deste mês da revista TV Guia que três atores da “novela da nossa gente” comentaram o sucesso que a história tem tido junto do público português.

Se Pedro Diogo, o César da trama, defende que o segredo “é as pessoas entregarem-se de corpo e alma ao que estão a fazer, terem gosto naquilo que estão a fazer e darem-se bem umas com as outras”, Débora Ghira, a Sheila, afirma que: “No fundo, o nosso maior segredo é fazer com muito amor. Todos nós estamos a adorar a novela e as personagens. A forma como somos tratados, os textos… quando assim é, o sucesso é certo. Portanto, o segredo é esse: o amor que colocamos em prática no nosso trabalho. Tenho uma alegria enorme a gravar… eu e os meus colegas. E isso passa cá para fora, para as pessoas”.

Já Custódia Gallego, a cómica Gi de Laços de Sangue defende que: “O objetivo em qualquer trabalho é fazê-lo bem feito, é essa a nossa obrigação. Vamos melhorando sempre, novela após novela, com a experiência que nós, atores, técnicos, encenadores e realizadores, vamos adquirindo. Não cometemos os mesmos erros, as mesmas asneiras e, por isso, Laços de Sangue é melhor do que Perfeito Coração, que teve uma qualidade razoável. Porém, o sucesso, num produto como este depende muito de vários fatores: da promoção que se faz antes, do estado do público na altura em que estreou, do horário, da época do ano… É um conjunto de vários fatores que se conjugaram… É como uma viagem: o carro é o mesmo, a auto-estrada é a mesma, as pessoas são as mesas, mas nem sempre ela é igual. Ora porque parámos mais do que uma vez, ora porque fomos mais devagar”, afirmou.

A parceira de João Ricardo fez ainda questão de explicar: “Para mim, é essencial que o público que está do outro lado, e sei que é um público especial, acredite na novela. Isso é que é importante. Todos aqueles conteúdos de Laços de Sangue têm que ver com o nosso quotidiano, as personagens são construídas de acordo com uma verdade. Agora, às vezes, o puzzle pode não estar montado da melhor maneira. Mas volto a dizer: nenhum fator é mais importante do que outro, pois o sucesso depende de toda uma equipa.”, concluiu.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close