SIC

“A história do golfinho que voou” amanhã em “Perdidos e Achados”

PERDIDOS E ACHADOS

Há 13 anos um golfinho roaz sobrevoou o estuário do Sado, içado por um helicóptero da Força Aérea Portuguesa. Foi a solução encontrada para salvar o animal que tinha encalhado num esteiro do rio, possivelmente por problemas de orientação.

Na manhã de dia 7 de abril de 1999, Bernardino Fernandes estava a passear o cão junto a casa, na freguesia de Praias do Sado, em Setúbal, quando o animal arrancou a correr e a ladrar em direção ao chamado esteiro do carvão. Pescador nas horas vagas, Bernardino viu logo que se tratava de um golfinho junto à margem.

Dado o alerta para a Reserva Natural do Estuário do Sado (RNES), acorreram ao local técnicos e biólogos. A maré ainda estava a vazar e era preciso garantir que o roaz não ficava em seco. Foi pedida a ajuda dos Sapadores Bombeiros que prestaram apoio com um autotanque.

Raquel Gaspar, bióloga da RNES, estava de baixa com uma gravidez de risco. Mas, mal soube do arrojamento, também ela se dirigiu para o esteiro. As horas seguintes foram de grande tensão a coordenar no terreno os esforços de uma vasta equipa que procurava salvar um animal de uma espécie emblemática.

Era um dos golfinhos roazes (Tursiops truncatus) da pequena população do Sado – uma das únicas no mundo a residir num estuário – e, por coincidência, chamava-se Asa.

No “Perdidos e Achados” desta semana, é relembrado a emocionante história do salvamento do Asa e saberemos como está agora o roaz que voou naquele dia de abril de 1999.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close