O Protagonista

O Protagonista do Ano (maio)

OProtagonistadoano

 

O mês de maio ficou marcado pela estreia de vários formatos na televisão portuguesa. Se a RTP apostou em Último a Sair, a TVI presenteou os seus telespectadores com Perdidos na Tribo e a telenovela Remédio Santo. Já a SIC exibiu pela primeira vez em Portugal um formato internacional de sucesso.

Anunciado com pompa e circunstância, recheado de expectativas e aguardado há muito pelos portugueses, Peso Pesado marcou, de facto, o mês de maio e merece destaque neste Protagonista do Ano!

No primeiro dia de maio, os portugueses ficaram a conhecer o resultado de um mês de intensas gravações da versão portuguesa de The Biggest Loser. Dez duplas, vinte concorrentes. Um objectivo comum: perder peso, ganhar saúde. Com um pequeno extra: dois aliciantes prémios, um para o concorrente que perdesse mais peso dentro da Herdade e outro para aquele que perdesse mais peso cá fora. Dois treinadores, uma especialista em nutrição e uma divertida apresentadora que, depois de se estrear no horário das manhãs, teve com este formato o seu regresso ao horário nobre, desta vez em Carnaxide.

Peso Pesado veio alterar, e muito, o cenário que até então existia a nível audiométrico em Portugal. Os diários do programa chegaram a bater, por diversas vezes, a concorrência das telenovelas da TVI e aos domingos também chegaram a vencer o programa apresentado por Leonor Poeiras. Mais do que isto, o reality-show ajudou a SIC a sonhar em aproximar-se ainda mais da TVI e mostrou que era possível alcançar tal proeza.

Os investimentos publicitários foram mais do que muito e, apesar de a imprensa revelar sempre em primeira mão quem saia e quem ficava na Herdade, o programa acabou por não perder muito com isso. Mais do que um formato em que o jogo tinha grande destaque, Peso Pesado puxava à emoção e retratava um problema muito comum na sociedade actual: o excesso de peso que afeta tantos e tantos portugueses. Ao primeiro casting acorreram milhares de obesos, mas apenas os referidos vinte tiveram direito ao passaporte de entrada. Contudo, acabaram por servir de exemplo para muita gente e ainda hoje continuam a difícil luta contra o excesso de peso. Muitos deles, por alguns motivos, acabaram por recuperar algum do peso, ouros contam leves e a querer atingir os números ideais. Mas, depois da passagem pela Herdade da Boavista, as suas vidas não mais voltaram a ser as mesmas. E a dos portugueses também não. Fazer exercício físico passou a ser ainda mais necessário e um alerta para uma sociedade em que o excesso ainda faz parte do dia-a-dia.

Todos estes argumentos fizeram com que a SIC decidisse dar continuidade ao projecto e apostar nele para a rentrée televisiva. Com menos sucesso, mas com o mesmo fim, Peso Pesado marcou, de facto, a televisão portuguesa. Só é pena que, infelizmente, no nosso país e na conjectura actual, não haja argumentos para mantê-lo em antena durante muitos e muitos anos. Porque este é daqueles formatos em que, não são só os vencedores que saem a ganhar. Também os vencidos acabam por retirar algo, no caso, uma vida mais saudável.

Para além de tudo isto, há ainda que referir a performance de Júlia Pinheiro, uma autêntica força da natureza que, durante o tempo de gravações, se multiplicou e marcou presença, de manhã no Querida Júlia e à tarde nas filmagens do programa. Uma mulher que mostra cada vez mais que “quem corre por gosto não cansa” e que, apesar de ter sido substituída na segunda série, deixou o seu nome inscrito no sucesso que foi Peso Pesado. E por aí já há quem defenda que uma terceira série devia ser aposta da SIC.

Para 2013, quem sabe?

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close