O Protagonista

O Protagonista

O Protagonista

Já foi o menino de ouro da estação de Queluz de Baixo, tendo-se tornado numa autêntica estrela com a sua participação em Jardins Proibidos e Deixa Que Te Leve. Hoje, e após vários anos de ligação com a TVI, Pedro Granger afirma que o espírito que sempre caracterizou o canal da Media Capital se perdeu pelos mais variados motivos. Depois de Rui Vilhena, o destacado da última semana, o escolhido para O Protagonista deste domingo é mais uma das grandes figuras que diz adeus a Queluz de Baixo: Pedro Granger!

Nascido em 1979, o ator e apresentador deu há cerca de uma semana uma entrevista ao Alta Definição. Para além disso, confessou-se à Notícias TV, publicação do Diário de Notícias e Jornal de Notícias. “A TVI perdeu o espírito familiar. Não estou a dizer que a TVI vai para melhor ou para pior, o que estou a dizer é que é diferente. Uma casa não é só feita de tijolos, é também feita por pessoas”, explicou. Ao que parece, e com a saída de José Eduardo Moniz da estação de Queluz de Baixo, fechou-se a veia da direção de programas em desafiá-lo para projetos diferentes. Por outro lado, e com a contratação de Júlia Pinheiro e Gabriela Sobral pela SIC, o ambiente em Queluz de Baixo tornou-se mais vazio para si próprio.

Assim, e mesmo com convites para embarcar em Canta Comigo e na segunda temporada da Casa dos Segredos, Pedro Granger preferiu dar uma nega a esses projetos, ainda por mais tendo o seu contrato de exclusividade terminado em maio. Não se identificando no formato conduzido por Rita Pereira, o qual identifica erros graves, e não querendo repetir a experiência da versão portuguesa de Secret Story, Pedro Granger iniciou conversações com a estação de Carnaxide.

Confessando que Nuno Santos já o tinha aliciado para regressar à SIC, na altura da terceira temporada de Ídolos, Pedro Granger afirmou que esta ligação com o canal de Pinto Balsemão já vem de alguns anos atrás. No entanto, a conduta do princípio e igualmente da ligação com as “pessoas” que refere, acabaram por levá-lo a permanecer na estação de Queluz de Baixo.

Na entrevista ao Alta Definição mostrou-se aos portugueses pelo que é, pelo que faz, pelo que sonha, dando a entender que no meio televisivo existem muitas “más-línguas”. Assim, e lidando com elas diariamente, Pedro Granger não esquece os seus verdadeiros amigos, aqueles que diariamente o ajudam, que partilham momentos de felicidade consigo. Não desvendando o seu futuro profissional, a verdade é que o convite para o Alta Definição foi apenas o primeiro de muitos passos para se tornar na nova estrela do terceiro canal.

Mesmo tendo confessado à Notícias TV que está disponível até para a estação pública, a verdade é que a ligação com a SIC já começa a ser construída, e as conversações estão a desenvolver-se a cada dia que passa. Sobre a possibilidade de dar a cara por Factor X, o português prefere não comentá-la, o que nos leva a querer que talvez seja esse um dos formatos da estação de Carnaxide que Pedro Granger mais quisesse participar.

Assim, e com todas as baixas no canal da Media Capital, o ator e apresentador veio a público explicar o porquê de não ter renovado o contrato de exclusividade que mantinha, demonstrando sempre o respeito por todos os profissionais que deixou para trás. Aliás, seguindo os seus princípios, Pedro Granger esclareceu que não precisa de estar num dado canal, dar a vida por uma profissão diferente da dos seus amigos e colegas, para deixar de os conhecer, para os deixar para trás, muito pelo contrário.

Por fim, e em relação à sua quase entrada no canal de Pinto Balsemão, a única coisa a concluir é que é mais uma vitória da direção de programas do mesmo, assim como uma baixa para a TVI.

Assim, é ainda necessário não esquecer o que o fez mudar para a estação de Queluz de Baixo, depois do sucesso de Ídolos. Um déja-vu está agora a acontecer na TVI, algo que se passou no início de 2000 com a SIC. Por outras palavras, o baralho de cartas está a desmoronar-se, e é interessante salientar uma das frases de Pedro Granger à Notícias TV: “Acho que é, essencialmente, uma sina dos grandes líderes e do vazio que se creia quando eles saiem: Rangel e Moniz. A equipa que lá está lá a comandar o navio é outra. Não é a mesma coisa, não pode ser”.

Será este mais um ciclo da televisão portuguesa? Estará a  TVI a um passo de cair no mesmo buraco que a SIC caiu? Ou será que a televisão por Cabo não deixará nenhum canal generalista destacar-se nos próximos tempos? Seja como for, a verdade é que Pedro Granger está a um passo de assinar com a SIC, o que é sempre uma mais valia no lote das estrelas de Carnaxide!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close