O Protagonista

O Protagonista

O Protagonista

A semana foi marcada por vários destaques televisivos. Desde o final de uma das rubricas mais antigas de Você na TV!, que contava com  a participação dos conhecidos comentadores Cinha Jardim, Flávio Furtado e Lili Caneças, até à saída de Júlio Magalhães da estação de Queluz de Baixo para o Porto Canal, de forma a tornar-se diretor-geral do mesmo, e à recusa do convite de Cláudio Ramos para integrar a equipa da TVI. Foi uma semana rica em novidades dentro dos ecrãs nacionais, que culminou com a vitória do Emmy de Melhor Novela Internacional por Laços de Sangue. A novela do terceiro canal seguiu o mérito de Meu Amor, produção da TVI, e proporcionou a Portugal mais um prémio na área da ficção.

Assim, a estrela de O Protagonista neste domingo é precisamente a… “a novela da nossa gente”!

Estreou a 10 de setembro de 2010, e esteve em antena na SIC durante mais de um ano. Laços de Sangue foi, de facto, uma das novelas que marcou os últimos anos na televisão nacional. Iniciando-se com 9,7% de audiência média e 27,8% de share, esta produção acabou por surpreender em diversas frentes, nomeadamente nos valores alcançados. Depois de ter ido para ar, conseguiu agarrar milhares de portugueses à estação de Carnaxide em pleno horário nobre, concorrendo diretamente com a TVI. Na altura, as novelas de Queluz de Baixo ficavam, algumas vezes, atrás da da SIC, levando muitos de nós a crer que algo poderia estar a mudar na mentalidade dos portugueses.

Será que a ficção é, na atualidade, ainda associada totalmente ao canal da Media Capital, ou a SIC já consegue estar presente na mente dos telespetadores na hora de decidir que novela irão ver?

A verdade é que o próprio elenco de Laços de Sangue conseguiu executar um bom trabalho, uma representação eficaz e cativante para os seus seguidores. Um mérito que se estendeu não apenas a um ator, mas sim a todos os que participaram na novela do canal de Pinto Balsemão. Apesar de ser necessário destacar o desempenho de Joana Santos, por se ter revelado nesta produção, com uma Diana que ficará na memória de milhares de telespetadores, existem tantos outros que conseguiram surpreender os seguidores da mesma, tais como Dânia Neto, Débora Ghira, Armando Coutinho, Custódia Gallego ou Margarida Carpinteiro.

Neste sentido, é necessário congratular toda a equipa que fez de Laços de Sangue a melhor novela do ano que passou, elevando assim ao mundo uma pequena grande parte daquilo que se faz no nosso país em televisão. Afinal, e tal como demonstrava uma conhecida marca no passado, “o que é nacional é bom”. No caso de Laços de Sangue… foi ótimo!

É caso para dizer que, ao contrário do passado, a SIC deixou de ser a estação que apenas apostava em produtos brasileiros para se dedicar igualmente à produção nacional de ficção. Depois de vários anos com uma estratégia errada, a estação de Carnaxide segue agora um caminho já pisado pela TVI, tentado construir enredos e histórias um pouco diferentes das de Queluz de Baixo. Para uns, as semelhanças podem ser várias, mas para os mais atentos, as distinções são óbvias.

Goste-se ou não, o importante é que a ficção portuguesa foi premiada e, por isso, todos nós devemos ficar satisfeitos, ainda por mais numa altura de crise como a que vivemos.

Parabéns Laços de Sangue!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close