O Melhor & Pior da Semana

O Melhor & Pior da Semana (13 – 19 de Agosto)

Com o Pedro Esteves de férias, esta semana assumo eu o comando do Melhor & Pior da Semana. E porque as temperaturas altas nos levam à praia, a televisão generalista também está a levar os portugueses a imigrar para a televisão por cabo. É com esta realidade, que se inicia mais uma edição da sua rubrica de eleição!

O melhor da RTP1

Na semana passada, o concurso apresentado por José Carlos Malato era o pior da semana, na opinião de Pedro Esteves. De facto, tenho de concordar com uma realidade: Quem Quer Ser Milionário – Alta Pressão já não surpreende, está praticamente gasto. Apesar disso, a estação pública continua a apostar no formato, com mais e mais emissões do mesmo. Se os portugueses estão fartos dele? Duvido.

Os resultados assim o comprovam. Sim, Quem Quer Ser Milionário – Alta Pressão está em terceiro lugar nas audiências, mas em termos de conteúdo consegue ser mais atrativo que os “enlatados na SIC”. Aliás, a diferença em audiência média entre estes dois programas não é elevada, muito pelo contrário. Se, na terça-feira, “Não Há Crise” bateu José Carlos Malato com 8,9% de rating, na quarta-feira foi a vez do concurso do primeiro canal vencer o programa conduzido por Nuno Graciano, com 8% de audiência média.

Apesar de acreditar que existam telespetadores que se questionam o que é pior -se um programa mais do que visto, se um conjunto de perguntas mais do que respondidas – considero que Quem Quer Ser Milionário – Alta Pressão leva a melhor.

O pior da RTP1

As repetições das conhecidas séries da RTP1 já se tornaram numa constante. No entanto, os resultados dos episódios transmitidos continuam a ser demasiado baixos. Exemplo disso foi o caso de Pai à Força, que foi para o ar no último sábado. A série da estação pública bateu fundo, nos 2,8% de audiência média e 13,6% de share, tendo sido quase menos vista que a emissão da Peregrinação Internacional, transmitida nessa manhã. Se, à noite, a repetição das produções nacionais não resultam, parece que nem ao fim de semana o primeiro canal consegue torná-las numa ferramenta para alcançar um lead-in satisfatório para o Telejornal.

Com o resultado de Pai à Força no sábado, o Telejornal acabou por ser o menos visto dos três noticiários (5,9% de audiência média e 22,8% de share), para além de ter sido ultrapassado pelo novo episódio de MasterChef. Quem diria…

O melhor da SIC

Está em terceiro lugar nos noticiários da hora de almoço, contudo é de salientar que é o que parte com maior desvantagem. O Primeiro Jornal da SIC tem diariamente a missão de correr uma maratona para tentar beliscar o Jornal da Tarde e o Jornal da Uma. Com a emissão de Querida Júlia a atingir shares na ordem dos 10 a 15%, torna-se difícil que a estação de Carnaxide consiga ser competitiva entre as 13h00 e as 14h00. Mesmo assim, e apesar destas condicionantes, é de salientar que o Primeiro Jornal não se tem saído nada mal. Por exemplo, na quarta-feira atingiu os 5,4% de audiência média e 24,9% de share.

É verdade que continuou no terceiro posto, contudo também não é mentira que quase triplicou o seu rating, tendo em conta a antecessor talk-show apresentado por Júlia Pinheiro (alcançou nessa manhã 2% de audiência média).

Apesar de permanecer em último, considero importante salientar os resultados do Primeiro Jornal.

O pior da SIC

É, a meu ver, o mais fraco dos magazines da SIC. E-Especial começou como Episódio Especial e, até hoje, é caraterizado pelas suas audiências inconstantes. Muitos são os avisos de Daniel Oliveira no Facebook relacionados com os grandes resultados audiométricos alcançados pelo programa conduzido por Ricardo Pereira e Sofia Cerveira, contudo nem sempre isso acontece.

No último sábado, dia 13 de Agosto, E-Especial caiu aos 3,8% de audiência média e 20,4% de share. Tendo em conta o também “baixo” resultado de Alta Definição (5% de rating e 25,2% de share), considero que desta vez o público de Daniel Oliveira não se deixou cair nas graças do universo de ficção da SIC.

Assim, e passados já cerca de três anos, duvido que este E-Especial tenha garantido um lugar na estação de Carnaxide. Com uma estação de Queluz de Baixo a apostar em filmes repetidos, e um Top + da RTP1 que, por mais alterações planeadas, continua a não cativar os telespetadores, o magazine da SIC tem feito o seu caminho, sem grandes concorrentes.

Resta esperar para ver o que acontecerá quando eles chegarem…

O melhor da TVI

Apesar do baixo consumo televisivo que tem vindo a aquecer os últimos valores audiométricos, a ficção da estação de Queluz de Baixo tem-se mantido com números estáveis. Apesar de não surpreenderem, e de não corresponderem a números que se comparem ao passado, tanto Anjo Meu como Remédio Santo têm resistido a este verão. Os telespetadores, mesmo já desviando o olhar para Laços de Sangue, continuam a preferir as produções do canal da Media Capital.

No final de contas, a TVI continuam a dominar este universo, e nem a saída de Rui Vilhena para a TV Globo, faz tremer os resultados das novelas. Com uma audiência média entre os 10 e os 13%, Anjo Meu e Remédio Santo têm consolidado o horário nobre da estação de Queluz de Baixo, sendo igualmente ajudadas pelo fraco conteúdo de Não Há Crise, e pelo “esgotamento” de Quem Quer Ser Milionário – Alta Pressão.

Quanto a Sedução, nada a apontar. Na liderança, mas sem grandes “feitos”. O suficiente!

O pior da TVI


Foi uma semana negra para Fátima Lopes. Apesar de ter visto Canta Comigo subir nas audiências, a apresentadora de Queluz de Baixo não caíu nas graças dos portugueses durante os dias que passaram. Aliás, se, no passado, A Tarde É Sua, ficava constantemente à frente de Agora É Que Conta, agora é o programa de Leonor Poeiras a arrecadar o maior número de telespetadores.

Apesar das alterações na grelha do canal da Media Capital, com a reposição de Ilha dos Amores, parece-me que elas não foram suficientes para colmatar as más audiências do talk-show conduzido por Fátima Lopes. Algo terá de ser mudado em setembro, pois a concorrência parece estar a cativar os telespetadores. Boa Tarde já vence a RTP1 e a TVI entre as 15h30 e as 18h30.


Até para a semana!

Tags
  • O Episódio especial depende em muito do Alta Definição…
    Quanto ao ATES, o AEQC parte com a vantagem de ser exibido em menor tempo e num horário onde o público em geral é maior

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close