Like E Dislike Rubricas

Like & Dislike (01 fevereiro)

Like e Dislike 2012

A semana está quase a terminar e, por isso, a análise do melhor e pior que atravessou a televisão nacional chega agora, a todas os leitores d’A Televisão. Atente-se no primeiro Like & Dislike de fevereiro.

LIKE – Nicolau Breyner na Linha da Frente

Ponto 1: Completa-se hoje uma semana desde a oficialização dos nomes dos participantes do regresso de A Tua Cara Não Me É Estranha aos ecrãs da TVI. O grupo é encabeçado por um ator que, a meu ver, seria das últimas pessoas a quem associaria a este tipo de programas, e ainda para mais na pele de concorrente – Nicolau Breyner. O criador das telenovelas portuguesas surpreendeu tudo e todos com a aceitação do convite da TVI e da Endemol e vai encarnar das mais diversas figuras míticas da música nacional e internacional. O regresso do programa de imitações acontece no próximo domingo e, para além desta agradável surpresa, há mais aspetos positivos nesta edição: o restante elenco (os talentosos Ricardo Sá, Francisco Menezes e João Didelet, e as cantoras Wanda Stuart, Inês Santos, Diana Monteiro e Ruth Marlene), a entrada de Fernanda Serrano para o júri e o regresso da dupla maravilha da televisão portuguesa às noites de domingo. Resta apenas saber se vencerão. Se acredito? Sim, mas certezas na caixinha mágica jamais existirão.

Ponto 2: O Linha da Frente transmitido ontem após o Telejornal falou de um tema por muitos falado, mas numa abordagem completamente distinta. A violência doméstica foi o pano de fundo da reportagem de Helena Cruz Lopes, que conversou com um grupo de homens já agressores das suas companheiras, justificando o porquê de tais atos. Que me recorde, este assunto tão polémico nunca virou as “atenções” para os agressores mas para as agredidas, e a diferença da informação da RTP é marcada por estes pequenos grandes pormenores. Aconselho vivamente a olhar para as perspetivas e explicações destes homens, (re)vendo o Linha da Frente desta semana na RTP Play (clicar aqui).

DISLIKE – A TVI não conseguiu o que queria

É inevitável não referenciar as audiências negativas de Destinos Cruzados no Dislike desta semana. A história de António Barreira não liderou nem na estreia nem nos capítulos seguintes. Já muito se disse sobre estes resultados, tanto perante a grande qualidade da história como as audiências. E a mim, o último aspeto surpreendeu-me. Acredito que ao longo dos próximos episódios, a atenção dos espetadores se foque em Destinos Cruzados, mas que Luís Cunha Velho e Lda. não pensem que irá ser fácil tirar a liderança a Dancin’ Days. Depois dos erros cometidos em produções anteriores, a TVI arca agora com as consequências e vê um público fidelizado à novela da SIC. A luta vai ser intensa, mas Destinos Cruzados tem, no meu ponto de vista, tudo para atrair a atenção dos portugueses – um elenco de luxo e, acima de tudo, um enredo fantástico.

O Like & Dislike regressa para a semana. Bom descanso.