Ídolos

Diário de um Ídolo – Carlos, Diana e Filipe são os três finalistas!


Boa noite. Seja bem-vindo ao Diário de um Ídolo. Aos domingos, logo após a gala do talent-show da SIC, já sabe que é aqui, no TV Universo, que vai encontrar a análise detalhada às prestações dos concorrentes, do júri e dos apresentadores!

Antes de avaliar as actuações dos 5 concorrentes, de referir que o início da gala foi em grande, para variar.

Solange Hilário – Gosto muito da primeira música que esta concorrente cantou. Agradou-me a sua postura, mas achei-a desafinada em algumas partes. “Hush Hush; Hush Hush”, o seu segundo tema, foi cantado em género de balada no início. Na segunda parte da música, Solange Hilário soltou-se mais, e tentou provar que esteve à altura do desafio. Se conseguiu? Tendo em conta a sua idade, sim.

Achei desnessário ter referido que tinha tido 16 na oral de inglês. Será que ganhou algo com isso? Não.


Inês Laranjeira –
No primeiro tema achei que esteve afinada. A música que escolheu agradou-me bastante. Intrepertou-a com sentimento.

Relativamente à segunda actuação, fez-me “bater o pé”, e sentir a música. Mexeu-se, e melhorou em relação á semana passada. Deu nas vistas.

Filipe Pinto – Tal como o júri costuma referir, considerei-o competente. O tema que cantou foi ao seu estilo, e como tal, correu bem.
Na segunda intrepertação, demonstrou estar à altura, cantando e tocando ao mesmo tempo. Para mim, é um dos grandes artistas desta edição de Ídolos. De facto, o Laurent Filipe fez um comentário com o qual estou totalmente de acordo: “tudo o que tu fazes, fazes bem”.
De referir que comparando o Filipe com a Diana, é necessário ter uma coisa em conta. O Filipe é um concorrente que desde o início surpreendeu. A Diana foi surpreendendo. Logo, não se pode dizer que o Filipe não cresceu, mas sim que foi continuando o trabalho que demonstrou desde o primeiro casting.

Diana Piedade – Esteve muito bonita. De 0 a 10, dou nota máxima à garra com que cantou a sua primeira música. Deu o seu quê de sexy à sua intrepertação. Nota-se que gosta de estar naquele palco a dar música aos portugueses. Relembro o elogio que Manuel Moura dos Santos fez a Inês Laranjeira na altura dos castings – “Tu respiras música”. Neste caso, utilizo este comentário em relação à Diana – ela respira música!
O segundo tema foi muito bem escolhido. A interepertação da Diana foi original, não a tendo baseado em “imitar” o autor de “Crazy”. Soube mexer-se, coisa que a música exigia.
Esteve de parabéns!

Carlos Costa – “One” é sem dúvida uma música que fica na cabeça de qualquer um. Gosto muito do tema, e também gostei da forma como o Carlos o agarrou. Acho que podia ter-se mexido mais. Habituou tanto o público à sua energia, que quando não o vemos dançar parece estranho.
No segundo tema o Carlos deu o show que faltava. Sem dúvida que é um artista pop. Teve presença, e conseguiu que as pessoas do estúdio e de lá de casa o ouvissem.

Quanto aos apresentadores, achei Cláudia Vieira mais solta. Houve partes em que notei que não esteve agarrada ao teleponto, e que conseguiu conduzir o programa sozinha. Gostei de ver a cumplicidade entre a apresentadora e Carlos Costa, quando este se emocionou no primeiro tema.
Nota-se que Cláudia Vieira, apesar da pouca experiência na condução de programas, gosta de estar a co-apresentar Ídolos. O leitor pergunta: quem é que não gostava? Tem razão, mas existem profissionais que sabendo que não tem uma perfomance espectacular, não são humildes. Cláudia Vieira tem a noção das suas capacidades, e não se arma em vedeta.
Gostei de ouvir os “picardetes” entre os dois apresentadores.

Quanto à prestação do júri, os quatro elementos estiveram bem. De Laurent Filipe digo sempre o mesmo – cultura ao mais alto nível. Em relação a Manuel Moura dos Santos, era escusado ter dito que “por mim era hoje a final”. Se ele aceitou fazer parte do júri, então não deve “reclamar” dos modos como este programa se processa.
Roberta Medina fez avaliações mais precisas. Pedro Boucherie não esteve mal, mas mandou uma piada a Manuel Moura dos Santos que era desnecessária. De qualquer forma, ele sabe que o Ídolos precisa de polémica, portanto porque não mandar bocas?

Aqui fica a minha avaliação dos 5 concorrentes, de 0 a 10:

Carlos Costa – 8,5
1ª actuação – 7
2ª actuação – 8,5

Diana Piedade – 9,5
1ª actuação – 10
2ª actuação – 9

Filipe Pinto – 9,5
1ª actuação – 9
2ª actuação – 10

Inês Laranjeira – 7,5
1ª actuação – 7
2ª actuação – 8

Solange Hilário – 7
1ª actuação – 6,5
2ª actuação – 8
PS – Votei no Carlos Costa, na Diana Piedade e no Filipe Pinto.

Análise aos resultados finais:

Concordei inteiramente com as votações do público.

Para aceder ao fórum clique aqui.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close