Ídolos

Diario de um Ídolo – Maria e Adriano são expulsos de “Ídolos”!

altBoa Noite! Mais uma gala de Ídolos, mais um Diário de um Ídolo em linha!

Esta semana, o romance esteve em alta. Cada um dos concorrentes interpretou duas músicas. Uma sobre o amor e outra sobre Paixão e foi um magnífico espectáculo televisivo.

E foi ao som de Imagine que se iniciou o desfile de talento desta noite! Um momento em que a emoção esteve bem presente no palco, com a ajuda de um coro que deu outro brilho ao tema.

Todavia, e depois de Maria Bradshaw ter sido salva há sete dias, desta vez dois concorrentes acabaram por abandonar a competição.

Numa altura em que restam tão poucos jovens, começa a tornar-se cada vez mais difícil vê-los partir. Mas são estas as leis do jogo e tem mesmo que ser. Passemos então à análise de cada uma das actuações!

Maria Bradshaw

altFoi a primeira concorrente a actuar e deixou logo a fasquia bastante elevada com um fantástico tema de Tina Turner, “What´s Love Got to Do With It”. Está cada vez melhor e mostra cada vez mais um soul completamente seu. Não caiu no erro de “imitar” a interprete original e isso é de enaltecer. Ainda assim, esteve um pouco apagada, tendo em conta outras interpretações.

Fechou a noite com “Love of My Life” dos Queen. Foi excelente! Cantou mesmo muito bem e levou a plateia ao rubro. Sentiu-se que estava bastante concentrada e foi “especial”, como disse Roberta Medina. Também concordei com Laurent Filipe, quando este disse que ela era a que estava mais descontraída.

Martim Vicente
alt

O seu primeiro tema é um dos que mais tem tocado nos últimos tempos. Original de um ex-concorrente de American Idol, “Whataya Want From Me” é, definitivamente um dos temas de que mais gosto. Totalmente diferente da versão original, esta versão provou o quão versátil Martim consegue ser. Cantou com garra, algo que já é habitual. Apesar de tudo, não me fez esquecer Adam Lambert, até porque, na minha opinião, houve alguma dificuldade do concorrente em dizer várias palavras…

Já para segunda actuação, presenteou-nos com novo tema em português. Aqui sim foi muito bom, embora tenha achado que desafinou em algumas partes. Conseguiu mostrar ainda mais a sua excelente capacidade de transmitir, através de expressões faciais aquilo que sente quando canta. Também concordo com Roberta Medina, quando disse que “foi intenso”!

Carolina Deslandes

altFoi ao som de “Problema de Expressão”, dos Clã que a mais pequenina dos concorrentes demonstrou o seu lado mais “amoroso”. Não sei se é apenas impressão minha, mas sempre que canta em português Carolina torna-se ainda mais especial. A forma como soletra as palavras. Dá-lhe um toque especial. Muito bom, mesmo. Discordo, claro está, daquilo que lhe disse Manuel Moura dos Santos.

Para segunda actuação escolheu um tema bem mais mexido, “Sex On Fire” dos Kings of Leon. Depois de uma muito romântica balada, um rock onde mostrou toda a sua presença de palco. Puxou pelo público e não se cansou de correr todo o plateou. Foi fantástico, como lhe disse Roberta Medina. Mais uma vez Pedro Boucherie Mendes foi demasiado directo e não concordei em nada com aquilo que disse.

Gostei da sua humildade, ao aceitar as críticas do júri, deixando assim bem claro que é uma jovem “como deve de ser” e que sabe ouvir o que lhe dizem, mesmo que não seja o mais positivo.

Sandra Pereira
altCom um visual totalmente diferente, a concorrente de Albergaria-a-Velha voltou a arrasar. Com a garra de sempre, o sentimento de todos os dias e a musicalidade que é pedida, Sandra voltou a dar nas vistas ao cantar “Easy Lover”. Um grande momento que enaltece ainda mais as excelentes características de Sandra Pereira.

Foi com um tema de Skunk Anansie, “You´ll Follow Me Down”, que voltou a fazer a plateia vibrar. A meu ver, ela é a Diana Piedade desta nova temporada do talent-show. Foi poderoso e mesmo muito emotivo. Sandra sente tudo aquilo que diz e, melhor do que qualquer um dos seus colegas, consegue transparecer tudo isso. É um “furacão”, como dizem Laurent Filipe e Pedro Boucherie Mendes.

Adriano Diouf

altTrouxe ao palco do Ídolos um regggae de Bob Marley. “One Love” tentou levar o público ao delírio e fez Adriano emocionar-se no final da canção. Mostrou mais uma vez o seu estilo e, a meu ver, deixou passar um pouco o nervosismo que carregava.

“Fala-me de Amor”, dos Santos e Pecadores foi o tema que escolheu para retratar o amor. Foi um grande momento e conseguiu mostrar, mais uma vez, porquê de continuar em competição. Também concordo com Manuel Moura dos Santos, quando este disse que este foi a sua melhor actuação no Ídolos. Teve uma boa reacção às críticas do júri.

Terminadas as análises individuais, os melhores da noite, no meu entender, foram:

Maria Bradshaw, em “Love of My Life”

Sandra Pereira, em “You´ll Follow Me Down”

Depois de uma noite cheia de amor e paixão, dois concorrentes tiveram mesmo que sair da competição. E os três menos votados foram: Martim Vicente, Maria Bradshaw e Adriano Diouf.

À semelhança do que já se previa e do que Manuel Moura dos Santos e Laurent Filipe anunciaram, Maria e Adriano acabaram por dizer adeus a Ídolos.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close