Holofotes

Espectador Internacional

Antes de mais, um excelente ano a todos os leitores deste pequeno espaço que, quinzenalmente, passam por cá e lêem estas pequenas e simples palavras; 2010 será melhor que 2009 e, claro, o meu desejo que a TV portuguesa mude, é cada vez maior!

Começo esta primeira crónica de 2010 a felicitar a SIC por duas razões: a primeira (e mais evidente) foi a estreia de NCIS: Los Angeles (Investigação Criminal: Los Angeles, em português) nas tardes de domingo por ser um excelentehorário e a segunda, pela fantástica e maravilhosa Daniela Ruah que está imparável nesta grande produção da cadeia americana CBS. Contudo, devo referir que reprovei, veemente, uma atitude da SIC, no passado ano, quando estreou a quinta temporada de NCIS sobre o facto de ter dito uma inverdade quanto à entrada de Daniela Ruah na série conseguindo em dia de estreia valores de share altíssimo quando, no fundo, o que anunciavam nas promos não era verdade; de facto, ela entrou nos episódios 22 e 23 intitulados “The Legend (Part I and II)” mas da sexta temporada.

Mas, deixando de parte erros, ouso dizer que a Daniela Ruah está mais que fantástica! Fluente em inglês com uma pronúncia riquíssima (com um “tic” em que se nota a sua nacionalidade portuguesa) e uma brilhante representação! É de ficar tremendamente orgulhoso quando um conterrâneo nosso, aparece em produções estrangeiras, ainda para mais, uma produção americana de altíssima qualidade!

Reparem: entrámos num novo ano mas a programação dos privados portugueses continua má ou pior; continuamos com as novelas da noite e, ainda por cima, a SIC colocou a sua novela nos dias úteis… Que inferimos daqui? Uma luta de novelas para ver quem ganha? Uma luta que se desenrola desde 2000 e que não vai durar para sempre! De facto, temos uma programação que só acalenta os corações das gentes mais idosas. E esta pequena ponte leva-me ao título de hoje: “Espectador Internacional”. Não devemos nós olhar um pouquinho apenas para a programação dos outros países da Europa (e não só) e fazer tudo para melhorar a nossa televisão? Mas então, perguntam-me vós: “Onde está o dinheiro?”. De facto, são investidos rios de dinheiro naquilo a que se chama a ficcção nacional aka novelas. E o resto: concursos dinâmicos, séries originais, filmes cativantes que poderiam ser feitos e exibidos em horário nobre, documentários que são tão apreciados por todos e que aumentava o conhecimento da população,… Imensas ideias que não são aproveitadas! Se somos um país aliterado, porque não apostar forte e tornar os portugueses, pessoas cultas?

Conclusão: Não vejo futuro na nossa televisão. Digo isto com toda a certeza. Virá o dia em que mudarei de opinião mas aí a TV teria de sofrer um Extreme Makeover à séria. Não acreditam? Dia 31 de Dezembro deste ano, veremos se tenho razão.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close