Holofotes

Centralidades

holofotes

Deixando um pouco de parte a notícia da saída de Fragoso da direção de programas da RTP1, continuo esta odisseia pelos programas da Estação Pública.


Na crónica anterior dei ênfase à inteligência e à maravilha que é assistir ao Último a Sair. A cada programa, a ideia de Bruno Nogueira parece cada vez mais interessante e mais “correta” num panorama televisivo que, desde há alguns anos e a nível de comédia, estava um pouco gasto com as sucessivas adaptações de formatos de outros países. É, sem dúvida, uma lufada de ar fresco em tempos de calor insuportável e de mudança de Governo e já que pedem ao povo para investir em produtos portugueses, porque não congratular toda uma equipa fantástica que traz, todas as semanas, um programa com código de barras a começar em 560?

Nesta mesma onda do humor que parece estar a vingar na RTP, temos um outro programa que me tem feito as delícias da minha noite, Café Central. Esta animação que conta com as vozes de Pedro Ribeiro (Sr. Silva), André Brito (Águas), Rita Lagarto (Gina), Tiago Bôto (Conde) e José Pestana (Félix) não deixa escapar as notícias mais sonantes do dia proporcionando 12 minutos de puro entretenimento.

Nota: Para o espectador que não conhece, CC está no ar desde maio, de segunda à sexta, a partir da meia-noite.

Tenho pena de não ter descoberto Café Central há mais cedo. Para além de estar na RTP2 o que lhe confere pouca visibilidade, a animação é bastante refrescante em termos de humor porque contamos com a opinião de 5 personagens completamente diferentes e cujas personalidades os levam a acreditar e a defender ideais muito próprios. O bom de tudo isto é que a RTP disponibiliza os episódios online o que permite um melhor acompanhamento a nível de episódios.

Para completar este trio de humor que me trouxe hoje a este espaço, termino com Portugal, Tal & Qual. Um programa com um líder nosso conhecido e reconhecido, Eládio Clímaco, Tal e Qual deixa o espectador viajar pelo exagero de muitas características peculiares portuguesas através dos variados sketches trazidos por Quim Roscas e Zé Estacionâncio. Tal como Último a Sair, Tal & Qual faz uma sátira; enquanto que no primeiro, a sátira prende-se aos reality-shows, o segundo é uma sátira ao que é ser um português. E se por um lado, satirizar quem somos pode não ser do agrado de muitos, por outro, é uma brisa refrescante em tempos negros.

Último a Sair e Portugal, Tal e Qual são sátiras. Café Central é uma tertúlia do dia a dia. E o que é que têm em comum? Um humor inteligente que coloca o português numa posição de reflexão sobre quem é, sobre quem foi e sobre quem será. O seu propósito é bem simples: evoluir um país que há muito estagnou. E quem se apercebeu disso? Ninguém. E enquanto continuarmos assim, presos a preconceitos e a dizer “deixo para amanhã” e “não me apetece fazer” e “alguém logo resolve”, estaremos sempre dependentes dos outros, quer queiramos quer não.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close