Frente de Destaques

Últimas de Inverno

A uma semana do início da Primavera, há flores a nascer na nossa televisão, o frio do Inverno parece estar a desaparecer, mas ainda assim, há polémicas instaladas. Nuno Santos confirmou a saída da SIC para a RTP, a imprensa chegou a anunciar que Daniel Oliveira o acompanharia, enquanto que a TVI já não vai transmitir, para já, Mulheres Ricas. Já a estação de Carnaxide decidiu adiar o remake de uma produção brasileira, ao passo que surgiu uma novidade bastante interessante sobre o final de Mar de Paixão.

Senhora e senhores, esta é a septuagésima segunda edição de Frente de Destaques.

Depois de o rumor ter surgido no passado domingo, eis que a abrir a semana Nuno Santos confirma que será o sucessor de José Alberto Carvalho na direcção de Informação da televisão pública. Já aqui escrevi sobre este assunto na semana passada e a minha opinião mantém-se igual. Creio que não terá sido a melhor opção para o jornalista, mas se pensarmos que pelo menos foi uma forma de sair “pela porta grande” de Carnaxide, compreende-se perfeitamente. Contudo, e pondo de lado um pouco as críticas, não posso deixar de o elogiar, até porque, perante tanta polémica dentro da redação da RTP, Nuno Santos não terá tarefa fácil, mas tem provas dadas de que não fará um mau serviço. Assim o desejamos e acredito que conseguirá fazer esquecer José Alberto Carvalho. Nenhum jornal ou revista ficou indiferente a esta notícia e por isso, claro está, Nuno Santos é o Protagonista desta segunda semana de Março.

Mas não só de Nuno Santos se falou esta semana. Foi a TV Guia quem deu o mote e confirmava aquilo que eu desde logo imaginava: Daniel Oliveira acompanharia o seu ex-director para a televisão pública. Desde sempre se percebeu que os dois profissionais têm uma grande ligação e que trabalham muito bem em equipa, talvez por isso a referida revista tenha apurado que Daniel Oliveira também regressaria à RTP. Surpreendido não fiquei, mas de imediato pensei que na SIC o jornalista estava muito bem. Foi então que, neste sábado, o Diário de Notícias revelava que Nuno Santos não levaria ninguém da estação de Carnaxide para a televisão pública. Daí supus que afinal o apresentador de Alta Definição não o seguiria. Achei muito bem, até porque na televisão de Carnaxide Daniel Oliveira tem mais margem de manobra para dar largas às suas sempre extraordinárias ideias.

Ainda sobre estas saídas da SIC para a televisão estatal, a TV Mais desta semana publicou algumas fotografias de um almoço, curiosamente no dia em que Nuno Santos anunciou a saída para a RTP, entre Gabriela Sobral, Júlia Pinheiro e José Eduardo Moniz. De imediato muita gente pensou que o antigo homem forte de Queluz de Baixo estaria a um passo de chegar a Carnaxide. Sinceramente, há muito que se aguarda por este momento, ou não estivessem já no terceiro canal três das mulheres de maior confiança de Moniz. A dúvida é mesmo sobre quando é que a mudança se confirmará, até porque só se tornará realidade, arrisco-me a dizer, quando Luís Marques abandonar o barco.

E já que se falou na TVI, surgiu, pela mão da TV Guia, a notícia de que afinal, Mulheres Ricas não vai avançar para já. Ao que parece a estação e a produtora do programa não chegaram a acordo, muito até, diz-se, pelo facto de não existirem as protagonistas ideais para o mesmo. Segundo a imprensa, apenas Lili Caneças estava quase confirmada, quando muitas outras mulheres foram contactadas. Já aqui critiquei o formato em si, penso inclusivamente que, ser emitido já seria um atentado aos tempos que vivemos, mas pelo menos seria algo diferente que a TVI faria. A pergunta que agora se coloca é o que vão os responsáveis de Queluz de Baixo oferecer para combater Peso Pesado da SIC? A resposta é a de outros tempos: telenovelas. Pois é, tudo indica que não haverá um verdadeiro concorrente directo para a versão portuguesa de The Biggest Loser, algo que não é novo, até porque ninguém acreditava que Mulheres Ricas possuísse armas suficientes para esta dura batalha. Estratégias que muito pouca gente entende.

O que também não vai avançar para já é o remake português de uma telenovela da TV Globo. Nas palavras de Nuno Santos “não havia actores disponíveis” para um elenco tão grande. Fiquei completamente surpreendido com a justificação dada pelo então director de programas da SIC. Quantos actores portugueses estão no desemprego? Quantos andam por esses teatros fora a fazer espectáculos amadores porque ninguém lhes dá uma oportunidade? Agora se me disserem que não há dinheiro para pagar a um elenco tão grande, aí sim, percebe-se. Ainda assim, até fiquei satisfeito com esta decisão, uma vez que não estava muito entusiasmado com a chegada deste remake, prefiro, garantidamente, algo “mais português”. E, a avaliar pela excelente história de Laços de Sangue, não me admiro nada que Patrícia Müller consiga fazer algo ainda melhor. O elenco promete ser ainda mais luxuoso. Resta aguardar pela sinopse.

Para terminar, e já que o nome de Patrícia Müller veio à baila, falo-lhe das novidades sobre as emoções finais de Mar de Paixão, ultima história escrita pela argumentista na TVI. Segundo a edição desta semana da revista TV 7 Dias, grande parte da trama não passou de um sonho da protagonista, Benedita, interpretada por Paula Lobo Antunes. Ora, todos os romances que viveu, o funeral de Eduardo, e restantes emoções não foram, na telenovela, realidade. Quando me deparei com esta notícia apenas perguntei a mim mesmo: “Não havia mais nada para inventar?”. Com que ideia ficarão os telespectadores ao verem este final? Por muito que tente, não consigo, de todo, perceber esta opção.

Findos os destaques, é tempo de lhe trazer algumas citações que deram do que falar ao longo desta semana:

“Tenho um amor enorme a esta casa. Tudo o que sou devo-o à RTP e é aqui que me sinto bem. Se há coisa que eu não perdoo é ingratidão”, Luís Castro (in Correio TV)

“Eu sei que o João lutou muito para que eu ficasse, que ficou desgostoso, tivemos muitas conversas sobre esse tema, mas houve uma coisa que nem ele nem a TVI inteira me poderia dar: esta vertigem que eu tenho para o impossível. Era muito mais cómodo ficar na estação líder. Vim para a SIC para começar tudo de novo. E aos 50!”, Júlia Pinheiro (in TV Guia)

“As pessoas vão ter de se habituar a ver o José Alberto Carvalho na TVI”, João Cotrim Figueiredo (in Diário de Notícias)

“(saída de Nuno Santos) é uma perda muito grande. Eu, a Júlia e o Nuno já nos tínhamos tornado num triunvirato”, Gabriela Sobral (in TV Guia)

Antes das despedidas, a Rosa e o Espinho da semana!

Rosa

A distinção maior desta segunda semana de Março vai para a excelente e sincera entrevista de Luís Castro, o editor executivo de Informação da RTP, à edição desta semana da Correio TV.

Espinho

Já o pior destes últimos dias foi mesmo a polémica que se instaurou com a vitória dos Homens da Luta no Festival da Canção. Alguém dúvida de que a RTP nunca tenha pensado antes em toda esta polémica?

Termina assim mais uma Frente de Destaques!

Até para a semana!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close