Frente de Destaques

Tempo de Mudança

Uma semana de polémica, várias movimentações no mercado televisivo, rumores de mudança, recusas de cargos superiores, chega hoje ao fim. E, tal como há mais de um ano vem sendo feito, aqui estou eu para lhe falar sobre os maiores destaques da nossa imprensa. Vamos a eles!

Começando, de imediato pela notícia que marca a semana: André Cerqueira já não é director de programas da TVI. Por motivos pessoais, o brasileiro está na sua terra natal e decidiu colocar o seu lugar à disposição, acabando a estação de Queluz de Baixo por excluí-lo definitivamente. Para mim, esta foi uma grande surpresa. Não estava à espera que o “casamento TVI André Cerqueira” terminasse assim. Pelo menos com este timming. Até porque, os resultados das principais apostas nem são maus de todo, todavia, face aos problemas familiares, o antigo namorado de Joana Solnado decidiu deixar o cargo que ocupava, situação que, a meu ver, foi aproveitada pela direcção do canal para fazer mudanças. A nível audiométrico e, embora haja motivos para sorrir, a RTP já está mais próxima e parece que a SIC, poderá estar prestes a fazer algumas contratações na TVI. Por tudo isto, e acrescentando ainda as recentes polémicas com a troca de horários de Sedução, André Cerqueira não volta a mexer na programação, pelo menos num futuro próximo. E assim está encontrado o Protagonista da semana!

Quem acompanhou, de perto, todas as movimentações sobre a saída de André Cerqueira, com certeza que também leu que Júlia Pinheiro recusou substituir o brasileiro. Sem uma justificação conhecida, aquela que era, por muitos, considerada como a sua substituta natural, acabou por declinar o convite. Agora a pergunta que se coloca é: porque terá tomado tal decisão? Sinceramente, cheira-me que “aqui há gato”. Talvez aquilo que há muito a imprensa vem veiculado se torne realidade: Júlia Pinheiro prepara-se para regressar à SIC. O Diário de Notícias, escreve, inclusivamente, que à sua espera poderá estar a condução da versão portuguesa de The Biggest Looser. Já aqui escrevi sobre este tema e disse que a cara de As Tardes da Júlia seria a apresentadora ideal para este formato. No entanto, ela ainda está na TVI… Mas, a recusa da direcção de programas poderá ser um prenuncio de que o seu tempo em Queluz de Baixo está a chegar ao fim. Ou será tudo isto um rumor?

Outro rumor que surgiu na imprensa desta semana tem como protagonista o Alex de Mar de Paixão. Segundo a edição da TV Guia, Pedro Carvalho poderá estar a caminho da SIC, até porque está lá a sua grande amiga Gabriela Sobral. Face à inexistência de uma ligação de exclusividade com Queluz de Baixo, o actor tem várias possibilidades de mudar de ares. Confesso que admiro bastante o seu trabalho, desde que brilhou em A Outra e, acredito que poderá, muito brevemente, abraçar o protagonismo de uma série ou mesmo de uma telenovela. E, na SIC, há espaço para isso, cenário que na TVI será complicado de existir, até porque os protagonistas das histórias são “sempre os mesmos”…

alt

Quem sabe ele não faz o mesmo caminho que o colega de elenco André Nunes? É que, provavelmente face ao sucesso que Aqui Não Há Quem Viva fez, ainda que repetido, no passado Verão, parece que a SIC vai voltar a apostar numa série humorística. A Família Mata, que será produzida pela SP Televisão, começa a rodar em Janeiro e a estreia deverá ocorrer pouco tempo depois. Confesso que fiquei bastante agradado com esta notícia, veiculada pelo Correio da Manhã deste domingo, não só porque faz falta bom humor à nossa televisão, como também porque o elenco da série será, efectivamente, de luxo. A começar pelo protagonista, José Pedro Gomes, passando por Maya Both, André Nunes, vindo directamente da TVI ou Marco Horácio, estão garantidos alguns dos actores com maior potencial nesta área. O desafio será mesmo voltar a fazer rir os portugueses e conseguir surpreendê-los com algo diferente do que já foi feito. Bem pensado e planeado, A Família Mata poderá ser um sucesso!

E, para último destaque, não poderia deixar de falar dos Gato Fedorento. Afastados dos ecrãs já lá vai um ano, há quem torça para que regressem o mais rapidamente possível. No entanto, e tal como vem sendo hábito, ainda não será num futuro próximo que os poderemos ver no pequeno ecrã. Confesso que sempre admirei este comportamento por parte do grupo de humoristas. Ao contrário de muitos outros profissionais, eles, mais do que ninguém têm a capacidade de poder estar muito tempo sem trabalhar em televisão e viver normalmente com a situação. Tomara muitos colegas poder desfrutar deste “estatuto”. E não é por isso que perdem seguidores, que se multiplicam programa após programa. Todavia, é uma pena que não estejam, pelo menos num especial, a “esmiuçar” os candidatos à presidência da república…

Destaques terminados, é tempo de lhe deixar algumas citações que fizeram sucesso ao longo da semana:

 

“Se não tivesse dado tampa ao António, se calhar tinha chegado à final, mas não preciso de homem nenhum para sobressair na minha vida”, Jade Carpinteiro (in TV Guia)

“Enquanto no BB o formato não depende do apresentador, no Secret Story a apresentadora tem um papel mais importante e torna-se, por isso, um programa mais difícil”, Teresa Guilherme (in TV 7 Dias)

“Neste momento, faço televisão por puro prazer”, Herman José (in TV Mais)


E, antes das despedidas, o espinho e a rosa desta semana!

Rosa

Como não podia deixar de ser, é a notícia do prolongamento de Laços de Sangue que recebe o aplauso maior desta semana. Aguinaldo Silva confessou ao Diário de Notícias que, face à excelente aceitação da trama por parte das classes sociais com maior interesse para os publicitários, a telenovela protagonizada por Diogo Morgado e Diana Chaves terá 220 capítulos. Uma boa nova que só vem provar que a SIC não tem medo de arriscar. Parabéns a quem teve a ideia!

Espinho

No pólo oposto, destaco, negativamente, o facto de os jogos da Taça de Portugal não terem direito a transmissão em sinal aberto. Um claro sinal da crise televisiva e que o desporto já não é uma grande prioridade. Ainda assim, compreende-se, até porque, nos últimos anos as principais equipas não têm chegado muito longe na competição e, os jogos acabam por não despertar tanto interesse no públcio. Todavia, a Taça de Portugal é uma das competições mais lendárias do nosso futebol e, isso, por si só, deveria ter algum relevo quando SIC, TVI e RTP apresentaram as suas propostas. Uma pena.

 

E assim termina mais uma Frente de Destaques. De hoje a uma semana, a análise ao que de melhor escreve a nossa imprensa está de volta! Até lá, uma óptima semana!

Tags

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close