Frente de Destaques

Polémicas em Destaque

Mais uma semana, mais uma panóplia de destaques da nossa imprensa. Desde a continuidade das criticas e acusações entre alguns concorrentes de Perdidos na Tribo aos recados de André Cerqueira para a ficção da televisão de Carnaxide, passando pelos novos exclusivos TVI, o polémico veto da televisão de Queluz de Baixo do nome de Guida Maria ou a saída “forçada” de Goinçalo Waddington do elenco de Laços de Sangue.

Senhoras e senhores, sejam bem-vindos a mais uma Frente de Destaques!

Há três semanas que o novo doc-reality da TVI se tem mantido na “berra” e esta semana não será excepção. É que, por muito que não se queira, Perdidos na Tribo continua a dar do que falar nas nossas revistas e jornais. Esta semana com particular destaque para três pessoas: Vera Ferreira, Sérgio Vicente e José Castelo Branco. Foram eles que, em entrevistas a diferentes publicações lançaram farpas uns aos outros. Enquanto que José Castelo Branco criticou tanto a ex-concorrente de Secret Story, como o ex-concorrente de Big Brother, os outros dois não pouparam o “conde”. Não sei quem tem razão, acredito que cada um deles tenha os seus motivos, mas, por outro lado, não creio que a melhor forma de resolverem estes atritos seja na imprensa. Contudo, há aqui outro grande factor que é o facto de todas estas polémicas captarem ainda mais a atenção dos telespectadores e fazerem-nos ver o programa para confirmar o que se diz. É a velha máxima de “não importa bem ou mal, mas desde que falem”. E isso tem sido uma das grandes “políticas” de Perdidos na Tribo, que volta a ser o Protagonista da semana.

Quem também não sai das páginas da imprensa é o programa Peso Pesado, e, esquecendo os pormenores que não precisavam de ser já revelados, a Notícias TV desta semana foi tentar descobrir se, depois da perda de peso, os ex-concorrentes terão direito a alguma cirurgia estética para remoção dos excessos de peles. E a resposta de Frederico Ferreira de Almeida é simples: “Ainda não teve lugar qualquer acordo efectivo entre a produção, a SIC e as clínicas. Nós e a SIC ainda não falámos sobre isso”, o que acaba por ser preocupante. Este devia ter sido um dos primeiros aspectos a ser tratado pela produção de Peso Pesado ainda antes de este se estrear nos ecrãs. É que é uma das fases cruciais do processo. Oxalá que a televisão de Carnaxide e a Fremantle consigam arranjar uma solução.

E, em semana de estreia de Remédio Santo, eis que surge uma polémica com o nome da nova produção da TVI envolvida. Ao que parece, Guida Maria foi contactada pela Plural Entretainment para integrar o elenco desta história de António Barreira, no entanto, pouco tempo depois de receber o convite, a TVI vetou o seu nome e acabou por ser uma “carta fora do baralho”. É a própria actriz quem denuncia esta situação, em declarações à Notícias TV desta semana. Quando li esta notícia, fiquei bastante surpreendido, uma vez que aprecio bastante o trabalho de Guida Maria e creio que seria um excelente nome para marcar presença no elenco de Remédio Santo. Outra situação que me parece estranha é o facto de, antes de serem feitos os convites, não existir uma reunião entre produtora e a TVI para escolher os nomes a contactar. Caso não exista mesmo, seria algo a pensar, até porque seriam evitadas situações deste género.

E se a mãe de Julie Seargent acabou vetada pelos responsáveis de Queluz de Baixo, Virgílio Castelo, Miguel Guilherme e Eunice Muñoz são os três novos actores exclusivos, com contrato com a Plural Entretainment. Parecem-me excelentes apostas e uma nova política da TVI, que passa por segurar valores seguros e com grandes provas dadas de profissionalismo. Por outro lado, incluir neste lote Miguel Guilherme que muito poucas produções fez para o canal da Media Capital parece-me também uma óptima política, até porque ele é um dos actores mais versáteis que conheço. Estou curioso para ver como se sairá no género telenovela.

Ainda na apresentação destas três novas estrelas TVI, André Cerqueira fez questão de lançar farpas à televisão de Carnaxide. Numa espécie de “recado”, o director-geral da Plural Entretainment atirou: “Enquanto outras televisões querem fazer contratos com estações de outros países, nós investimos em talento”. Mais uma declaração que podia e devia ter sido evitada. É que, na minha óptica, não existe qualquer tipo de lógica. Não foi a SIC quem, há bem pouco tempo apresentou vários nomes exclusivos? Em gente que já trabalhou, inclusivamente, para a TVI? O problema passa mesmo pelo facto de André Cerqueira querer a todo o custo centrar as atenções nas suas telenovelas, quando, e como foi bem visível ao longo desta ultima semana, a ficção de Carnaxide já ultrapassa a de Queluz de Baixo. É preocupante, tendo em conta os milhares de euros que se apostam, principalmente na TVI.

Aproveitando que Laços de Sangue foi falada, foi a edição desta semana da revista Maria que deu conta de que Gonçalo Waddington “forçou” a saída da “novela da nossa gente” para integrar o elenco de Último a Sair, da RTP. Por um lado percebo-o, mas por outro creio que devia ter continuado no elenco de Laços de Sangue. Há muito que se sabe que o actor não é um grande fã de fazer telenovelas e o próprio o admitiu por diversas vezes, por isso, arrisco a dizer que esse foi um dos motivos que o levou a aceitar de imediato o convite para ir para o programa da televisão pública. Mas ele estava a ir tão bem em Laços de Sangue e a fazer um par romântico com Joana Seixas tão bem conseguido que acaba por ser de lamentar o término.

E, para último destaque, inevitavelmente, a entrevista de José Alberto Carvalho à Notícias TV desta semana. Uma conversa com o director executivo da revista muito bem conseguida, em que vimos um José Alberto a “jogar mais à defesa”, sem entrar em grandes polémicas, defendendo a sua nova casa e mostrando-se empenhado em conseguir melhores resultados para a informação que agora dirige. Gostei bastante do que li, mas fiquei com a ligeira impressão de que faltaram algumas declarações polémicas para a entrevista ficar “mais na memória”. No entanto, é de enaltecer o “comportamento” do pivô do Jornal das 8.

Terminados os destaques, as declarações que marcaram a semana:

“Quero que a TVI faça o melhor jornalismo que conseguir fazer.”, José Alberto Carvalho (in Notícias TV)

Laços de Sangue é um marco na nossa grelha. Conseguiu ganhar quase um milhão de telespectadores. É o reconhecimento do trabalho de todos e é algo que ficará como um marco para o futuro”, Luís Marques (in TV 7 Dias)

“Não há papéis pequenos, há pequenos actores. É um desafio poder destacar-me como personagem secundária e não só como protagonista”, Paula Lobo Antunes (in Correio TV)

“Por cada opinião negativa tenho dez mil positivas. Os programas de humor têm uma dose de inovação e, sobretudo, de risco”, José Fragoso (in Correio TV)

Antes das despedidas, a Rosa e o Espinho desta semana:

Rosa

O destaque maior da semana vai para a excelente sessão fotográfica apresentada pela Flash! e que tem como protagonista Bárbara Guimarães, onde a apresentadora mostra, através de fotografias, aquilo que de melhor se faz no nosso país.

Espinho

Já o menos da semana vai para o artigo da TV 7 Dias, em que a revista se defende e acusa ao mesmo tempo a rubrica Dizem Elas e Ele do Você na TV!. o destaque não é tanto par a revista, mas sim para a atitude de Manuel Luís Goucha, Flávio Furtado e Cinha Jardim que não se queixam de tentar deitar abaixo a referida publicação.

E assim se despede a octogésima segunda edição de Frente de Destaques!

Até para a semana!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close