Frente de Destaques

Ou sai ou racha

Frente de Destaques

Mais uma semana e mais um sem número de destaques na nossa imprensa. A “novela” com a saída de Júlio Magalhães continuou, e agora com o epílogo quase a dar-se. O 5 Para a Meia-Noite está a um passo de se mudar para a RTP 1, a saída de André Cerqueira foi, finalmente, confirmada pela Plural Entretainment e a SIC foi considerada a estação com maior reputação por um estudo recente.

Senhoras e senhores, sejam bem-vindos a mais uma Frente de Destaques!

A notícia não é de agora, mas teve nos últimos dias novos contornos. Júlio Magalhães é um dos homens de quem mais se fala por esta altura. Se, no ano passado, a saída de Júlia Pinheiro da TVI começou a ser comentada precisamente neste período, desta vez é o jornalista que dá nas vistas. A grande diferença é que a apresentadora nunca prestou declarações. Já o pivô deu o dito por não dito e em entrevista à revista Nova Gente começa por afirmar que ainda não há certezas do adeus, mas no decorrer da conversa acaba por confirmar que vai mesmo para o Porto Canal. Não condeno e já aqui expliquei o meu ponto de vista, mas há algo que muito pouca gente discorda: Júlio Magalhães sai magoado do canal de Queluz de Baixo e não é pouco. É uma realidade e parece que acaba por ir ao encontro de uma realidade há muito defendida por quem sai da TVI. Inevitavelmente, o jornalista é o Protagonista desta semana.

Quem também está de saída, mas agora da Plural Entretainment é André Cerqueira. Curiosamente poucos dias depois de a Nova Gente anunciar que Virgílio Castelo ou Diogo Infante se preparavam para ocupar o seu lugar no cargo, a produtora de telenovelas do grupo Mediacapital confirmou a notícia de que o brasileiro estava de saída da empresa. Já aqui escrevi bastante sobre esta saída, mas, achei, sinceramente, alguma piada ao facto de, na nota enviada à imprensa a Plural ter escrito que ambas as partes continuariam a trabalhar juntas. Mas alguém acredita nisso?

Saída especulada foi a de Ana Guedes Rodrigues, que, segundo a TV 7 Dias desta semana acompanharia Júlio Magalhães na sua mudança para o Porto Canal. Contudo, a própria jornalista fez questão de o desmentir, em declarações ao Correio da Manhã. Sinceramente, eu próprio cheguei a ponderar que o rumor fosse verdade, mas caso se confirmasse, certamente que a oferta teria que ser muito aliciante, não só a nível financeiro, como também no cargo que lhe estava destinado. Ainda assim, fico feliz por permanecer no canal de Queluz de Baixo, afinal, Ana Guedes Rodrigues é uma das pivôs da atualidade com maior margem de progressão e uma das mais bonitas também. Basta que apostem nela e tem tudo para ser uma nova Clara de Sousa ou uma nova Judite Sousa!

Ainda na TVI, é tempo de dar destaque a Mafalda Luís de Castro que já está escalada para a próxima telenovela de Queluz de Baixo, Destino, assinada por Tozé Martinho, revela a TV Mais desta semana. Ao que parece, a jovem atriz será o par romântico da personagem de José Carlos Pereira e promete surpreender neste novo papael. Parece-me uma boa escolha e um reconhecimento do trabalho desenvolvido em Lua Vermelha e Sedução. Mafalda é uma das mais bonitas da sua geração e merece um papel que a faça explodir. Acredito que este reencontro com Tozé Martinho a ajude e poderá mesmo deixar muita gente de boca aberta. Mas oxalá não tenha uma personagem sofredora como a Isabel da série da SIC. E que sofra uma alteração de visual para que não se veja ali uma das suas antigas personagens, que, infelizmente, são quase sempre parecidas.

De Destino passamos diretamente para o remake português de Dancin’Days, que, segundo a edição desta semana da revista TV 7 Dias pode vir a surpreender por contar com a presença de algumas atrizes brasileiras, que brilharam na versão original da trama. De acordo com esta publicação, a TV Globo está a fazer contactos para que Sónia Braga, Glória Pires e Joana Foom façam uma participação especial na história que está a ser escrita por Pedro Lopes e restante equipa. Gostei bastante de ler esta notícia, mas, sinceramente, não creio que se concretize. Seria uma “grande sorte” ter três nomes tão conceituados da ficção brasileira numa produção portuguesa. Mas gostava que se concretizasse, não escondo. E a justificação apresentada pela TV 7 Dias, de que a Globo quer fazer com que Dancin’Days suceda a Laços de Sangue nos Emmy até me parece um bom cartão de visita para estas participações. E aqui sim, se veria mesmo a parceria SIC/TV Globo em ação à frente das câmaras.

Ainda relacionado com a televisão de Carnaxide, surgiu esta semana um estudo, revelado pelo jornal I, que dava conta de que a SIC era o canal com maior reputação. A notícia causou polémica e vi por aí muitos comentários contra e a favor, mas, pensando bem, e aqui não estou, de todo, a colocar qualquer tipo de favoritismos em jogo, acaba por ser apenas mais uma “sondagem/estudo” que vale o que vale. Basta olhar bem para a mostra, pensar no seu conteúdo. E, à semelhança de outros estudos acaba por ter sempre as suas falhas e os seus benefícios. É como as audiências. Toda a gente faz guerras e vibra com as derrotas de um e outro canal, mas, olhando bem para a coisa, são apenas projeções/sondagens/estudos com pequenas amostras para uma grande população que, muitas vezes, nem os seus gostos mostra verdadeiramente.

Para finalizar os destaques, falo-lhe do 5 Para a Meia-Noite. Com os fãs a pedirem uma sexta temporada, surge agora a notícia de que está próximo o concretizar de um desejo há muito manifestado por Hugo Andrade: contar com este talk-show na grelha da RTP 1. O Diário de Notícias de sexta-feira deu destaque a esta situação e conta mesmo que está prestes a concretizar-se. Eu sou uma das pessoas que defende esta mudança, mas, pensando bem, se calhar não faz muito sentido. Se não vejamos: no principal canal do estado, a exigência com serviço público e conteúdos apresentados é muito maior; os apresentadores não teriam tanta liberdade criativa; a pressão dos números poderia ser maior e a verdadeira essência do 5 poderia perder-se. A casa do 5 é na RTP 2, por muito que pensemos o contrário. E, a bem da verdade, haverá muitas diferenças entre sintonizar no canal 1 ou no 2 para ver tal programa?

Terminados os destaques, as declarações que deram do que falar nos últimos dias:

“Deram-me os parabéns por ter participado (em Laços de Sangue). Mas, com todo o respeito, não me sinto parte da equipa. Sinto que o prémio é deles.”, José Fidalgo (in VIP)

“A Informação da SIC, e ao contrário do que se faz crer, não tem menos resultados. A nossa Informação no canal cabo, SIC Notícias, é vencedora. E nos canais generalistas, os resultados são condicionados pelos programas que estão antes, depois e pela própria dinâmica da antena.”, José Gomes Ferreira (in Notícias TV)

“Já fiz tudo o que tinha a fazer na TVI”, Júlio Magalhães (in Diário de Notícias)

“Marcelo (Rebelo de Sousa) ama a câmara e a câmara ama o Marcelo. Sinto que é o mais influente líder de opinião em Portugal, na exata medida em que é um homem que trata a televisão por tu”, Judite Sousa (in Notícias TV)

Antes das despedidas, a Rosa e o Espinho da semana!

Rosa

O destaque maior dos últimos dias vai para as declarações de José Fidalgo sobre o Emmy de Laços de Sangue e que surgem numa altura curiosa, precisamente uma semana depois de Paulo Futre afirmar que o prémio também era “seu”. O profissionalismo aqui está bem provado.

Espinho

O menos da semana pertence a toda a novela que tem sido a mudança de Júlio Magalhães para o Porto Canal, o silêncio e agora as declarações do pivô do Jornal das 8, que, bem pensadas, poderão cair mal na TVI.

E assim termina mais uma Frente de Destaques!
Até para a semana!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close