Frente de Destaques

Critciar. Sim, ou não?

Tudo sobre o “Festival da Canção”. Herman José de regresso à televisão. Rui Porto Nunes fala de “Twillight”. “5 Para a Meia Noite” despede-se. Está aberta a 20ª edição de “Frente de Destaques”.

Na época, foram algo de inovador na ficção portuguesa e alcançaram resultados agradáveis. “Casos da Vida” regressaram na passada sexta-feira à vida dos portugueses, através do jornal “Correio da Manhã”. Tudo porque, em parceria com a TVI, o diário decidiu distribuir, semanalmente e por apenas mais 1.95€, os oito DVD’s referentes aos primeiros episódios de cerca de 90 minutos. O primeiro a estar em banca é “Noivas de Maio”, da autoria de Rui Vilhena. Já o adquiri e aguardo ansiosamente pelo resto da colecção. É sempre bom poder rever produtos tão bem conseguidos e ainda melhor: com o selo nacional. Era um grande fã destas séries e espero que a ideia de as vender em DVD se estenda aos restantes episódios.

Um dos grandes destaques desta semana vai directamente para um dos programas que mais tinta fez correr na imprensa: o “Festival da Canção”. Foram várias as pessoas que vieram a público falar sobre a canção vencedora. Uma delas foi António Barreira, o autor de “Meu Amor”, que esteve no Campo Pequeno e votou em “Canta Por Mim”, que acabou por não vencer. Ao jornal “24 Horas”, o argumentista não poupou criticas ao programa: “Enquanto continuarmos a ter votos de professores de Conservatórios e pseudo-intelectuais de música, nunca iremos passar da cepa torta. Não podem ser 60 pessoas dos júris distritais a contrariar o voto dos portugueses, que terão sido bem mais. Esta canção não me representa na Eurovisão, não vou ver o programa e, nesse dia, vou ser espanhol”. António Barreira foi ainda mais longe: “Se o ‘Festival da Canção’ fosse na minha TVI, Portugal já teria ganho, porque o meu canal conhece os gostos dos portugueses.” Penso que estas declarações são um tanto ao quanto desnecessárias. António Barreira tem todo o direito em não gostar da música vencedora, mas na minha opinião, devia pensar um pouco antes de ter dito o que disse. Arrasar com o certame e dizer que se fosse na TVI, Portugal venceria foi realmente algo bastante desnecessário. Todos sabemos que muitas vezes, aquilo que “manda” na Eurovisão são os acordos políticos, infelizmente. Será que a TVI conseguiria fazer frente a esses acordos? Tenho várias dúvidas. Quem não teve “medo” de falar e responder a quem o criticou, foi o autor de “Há dias Assim”. Augusto Madureira, não se deixou abalar e criticou quem o atacou: “A indignação é apenas dos apoiantes de uma outra canção, que criaram, por ventura, exageradas expectativas e deram a vitória antecipadamente como certa. Ficaram desiludidos, nada mais”. O jornalista da SIC acredita inclusivamente em algum mau perder dos apoiantes da intérprete de “Canta Por Mim”: “Não tanto pela petição, mas pelos comentários de mau gosto, ofensivos e muito mal-educados que têm sido escritos em tudo o que é site na Internet, incluindo nas páginas de fãs de Filipa Azevedo. Tem sido uma espécie de virose”, finalizou. Augusto Madureira fez bem em vir a público falar sobre tais polémicas, no entanto penso que acabou por ser um pouco exagerado. Quanto à grande “guerra” sobre quem venceu e quem deveria ter vencido, tenho a dizer que todos os participantes, ao concorrerem sabiam das regras e aceitaram-nas, logo não há que fazer acusações ao júri escolhido. Não sou fã a 100% do tema vencedor, por mim seria “Alvorada” de Vanessa quem iria a Oslo, mas agora que “Há Dias Assim” conquistou o passaporte, há que apoiar Filipa Azevedo e torcer para que esta traga um bom lugar da Noruega.

No seguimento de críticas, houve esta semana umas que me surpreenderam. O seu autor foi Rui Porto Nunes, que resolveu responder a quem “ataca” “Lua Vermelha” e diz que a telenovela é uma cópia da saga “Twillight”. O “Afonso” da história revelou à revista “TV Mais”: “acho que o ‘Twilight’ como filme de vampiros, é muito, muito, muito fraquinho. Não há dentes, não há sangue. É um filme onde não vimos um bocadinho de sangue. E, afinal, onde é que está o vampiro? É só dizer que ele é um vampiro? Para mim, aquilo é um Romeu e Julieta dos tempos modernos”. No entanto, o “Afonso” da história ressalvou que a saga “como história de amor funciona bem”. Tenho em casa uma grande fã desta saga e uma das maiores criticas a “Lua Vermelha”. No entanto, confesso-me apreciador de ambos os formatos. Fiquei fã de “Crepúsculo”, que é sem dúvida um grande produto cinematográfico, quanto a “Lua Vermelha”, penso que é uma telenovela bem conseguida. No que toca às declarações de Rui Porto Nunes, são um tanto ao quanto exageradas, mas compreendo que tenha sido uma forma de demonstrar a sua “revolta” por tantas acusações que “Lua Vermelha” tem recebido.

Outro dos grandes destaques desta semana vai para o finalmente anunciado regresso de Herman José à televisão. Ao que tudo indica, o humorista vai ter um talkshow nas noites de sábado da RTP. Já previa esta notícia à bastante tempo, uma vez que há muito que Herman José vinha a manifestar os seus desejos. Estou expectante em relação ao conteúdo do programa, será um “Herman SIC” renovado? Ou algo totalmente diferente? Aguardam-se novidades, o certo é que este é um regresso pelo qual várias pessoas anseiam.

Mas, se há pessoas que estão de regresso à televisão, há programas que estão prestes a despedir-se. Um deles é “5 Para a Meia Noite”, cuja segunda série termina já a 26 de Março. A emissão de despedida ainda está a ser pensada e o coordenador do programa, Carlos Moura, acredita numa terceira temporada: “Creio que a RTP2 mostra interesse. As audiências e o feed back que temos recebido dizem-nos para continuar.” Pouco acompanhei esta série, mas não tenho dúvidas de que este é um dos formatos que “revolucionou” a grelha da RTP2. Apesar de não fazer resultados muito visíveis, há que dizer que poucas são as vezes em que o seu share ficou atrás do alcançado pela estação diariamente. Faz todo o sentido uma terceira temporada e, quanto a mim, “5 Para a Meia Noite” regressava não ao segundo canal estatal, mas sim ao primeiro. A equipa e o público mereciam.

Soube-se esta semana que Leonor Poeiras se prepara para dar o “salto” e parece que está de saída de “Quem Quer Ganha”. Perante esta situação, a produção do programa já se encontra a procurar uma substituta. Os castings já decorreram e segundo várias publicações, Carla Matadinho ou Ana Ferreira foram algumas das participantes. Sem dúvida que o concurso das tardes de Queluz de Baixo precisa de um “abanão” para ver se os seus resultados sobem. Uma nova cara, talvez seja um bom começo. Agora é essencial que não haja “erros de casting”. Aguardemos por novas notícias.

O último destaque desta semana vai para o “Ídolos” da dança, que está a chegar à SIC. Os castings decorrem a todo o vapor e ficou-se a conhecer, finalmente, o grupo de jurados. César Augusto Moniz, Marina Grangioia e Miguel Quintão. O primeiro, tal como a segunda, conceituados dançarinos profissionais, e o último animador da Antena 3 e Dj. São estes os três magníficos que prometem ajudar a encontrar um novo talento do mundo da dança português. Não conheço nenhum dos três, no entanto concordo com a escolha de Augusto Moniz e de Marina Grangioia, uma vez que são profissionais da área e é necessário que no grupo de jurados estejam presentes especialistas. Quanto a Miguel Quintão, sou sincero e, não teria apostado num DJ e animador de rádio. A minha escolha seria Sofia Carvalho, que chegou a ser avançada pela imprensa como uma das juradas. Penso que a direcção de programas deveria ter corrido o risco e formado um grupo com duas senhoras e um senhor. No entanto, aceito a escolha e espero que consigam fazer um óptimo trabalho. Afinal de contas, as expectativas são altas e aguarda-se que “Achas que Sabes Dançar” consiga bons resultados, semelhantes aos de “Ídolos”.

Estive bastante indeciso na escolha para Protagonista desta semana, todavia optei por Carlos Areias. O actor foi notícia em várias publicações, por estar com um problema de saúde que lhe provoca sensibilidade nos braços e nas pernas. Espero, sinceramente, que consiga dar a volta por cima, bem como aguardo que regresse ao pequeno ecrã.

Chega agora o momento de lhe deixar algumas sugestões para a semana que se aproxima.

Amanhã, não perca a estreia de “Mar de Paixão”, a nova telenovela de Queluz de Baixo, após o “Jornal Nacional”. Pelas 22:15, não se esqueça ainda que a Fox Life estreia novos episódios da quinta temporada de “Em Contacto”. Terça-feira é o dia escolhido pelo AXN para a estreia de “The Pacific”, uma mini-série de Steven Spielberg e Tom Hanks. No dia seguinte, não perca a estreia a 14ª temporada de “Alerta Cobra”, no mesmo canal.

Termina assim a “Frente de Destaques” desta semana, com a promessa do seu regresso dentro de 7 dias,

Até lá!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close