Frente de Destaques

Amêndoas e Ovos na TV

Domingo de Páscoa, culminar de uma semana de férias para muita gente. Com alguns feriados pelo meio, as revistas saíram mais cedo do que o habitual, mas as notícias continuaram a fazer eco. E há muito para analisar esta semana. Desde as diversas entrevistas de Diana Chaves, às polémicas com Peso Pesado, passando ainda pela entrevista de Bruno Santos à TV Guia, não esquecendo ainda os novos programas da RTP.

Senhoras e senhores, desfrutem de umas boas amêndoas enquanto lêem esta Frente de Destaques!

Ele foi Correio TV, Notícias TV, Maria e muitas outras. Diana Chaves esta semana esteve em grande e não foi por nenhum motivo em especial. Simplesmente deu várias entrevistas, todas elas sobre os mesmos temas, mas, não é por isso que perde o “estatuto” de Protagonista da semana. Gostei da sinceridade e da forma inteligente como respondeu às diversas questões. Provou que quer aprender mais e agradeceu às pessoas na TVI que lhe deram a possibilidade de se iniciar nos ecrãs. Fiquei também curioso ao saber que no seu contrato existe uma cláusula que implica “apresentar, em simultâneo com a representação”. Por muito que tenha “demorado a acertar”, hoje, mais do que nunca, Diana Chaves é um valor confirmado e tem feito um bom trabalho em Laços de Sangue, não esquecendo também que o balanço enquanto apresentadora é, também, bastante positivo.

Mas houve mais para ler ao longo dos últimos dias e, divulgadas as duplas de Peso Pesado, a imprensa não fez por meia medida e já partiu para a investigação. Desde as polémicas acusações da mãe de uma das concorrentes à produção, passando ainda pela revelação das duplas que já não estão em jogo, nada passou ao lado das nossas revistas e jornais. Já aqui escrevi diversas vezes que tenho expectativas bastante elevadas em relação a este formato, mas não fiquei muito satisfeito por a TV 7 Dias já ter revelado qual a segunda dupla a sair. O jogo acaba por se tornar quase que “previsível” e perde o encanto. Por isso, acho que as próprias publicações deviam ter o bom senso de ocultar algumas informações. Quanto às declarações da mãe da jovem da equipa roxa são um tanto ao quanto dispensáveis, mas são á algo “normal” no que a reality-shows diz respeito. Sinceramente, acredito que aquilo que a senhora disse não corresponde à verdade, mas, de qualquer das formas, mesmo que fosse, não é a “lavar a roupa suja na imprensa” que se fará justiça. Uma pena.

Falando em Peso Pesado, tenho que comentar, inevitavelmente, a entrevista de Júlia Pinheiro à TV 7 Dias desta semana, uma conversa bastante interessante e onde  apresentadora falou um pouco sobre vários temas. Gostei bastante da frontalidade e da forma como comentou o seu futuro na SIC e os motivos que a levaram a deixar Queluz de Baixo. Fiquei bastante surpreendido por ter sido a saída de André Cerqueira a “impulsionadora” do adeus de Júlia Pinheiro, uma vez que não tinha ideia que a relação dos dois profissionais era assim tão próxima. De qualquer das formas, Júlia Pinheiro merece um grande aplauso por provar, mais uma vez, a excelente profissional que é, mesmo que, por enquanto, ainda tenha uma árdua tarefa nas manhãs da SIC.

Quem não tem uma tarefa assim tão árdua é Bruno Santos, da TVI, que concedeu talvez uma das primeiras entrevistas da sua carreira em Portugal à TV Guia. Se, por um lado, acredito que o novo director de conteúdos e formatos de Queluz de Baixo, fiquei com a ligeira impressão de que gosta de lançar a polémica, especialmente, quando disse que The Biggest Loser “também andou por todas as mesas das televisões” e que Júlia Pinheiro o teria recusado. Não o disse directamente, mas também não desmentiu. Ora, pensando na estrutura da TVI e no que é habitual por lá se fazer, será que havia orçamento para Casa dos Segredos, telenovelas e ainda a versão portuguesa do reality-show? É estranho, mas as afirmações ficam para quem as diz. Por outro lado, achei, igualmente, curioso quando afirmou que Perdidos na Tribo era melhor do que Peso Pesado. Cada um tem direito a ter a sua opinião e é claro que um responsável da TVI “defenderia” o seu produto, mas creio que os formatos não são comparáveis e, caso o sejam, o melhor é mesmo o segundo, mas é só a minha opinião.

Falando em reality-shows, vem aí uma sátira na RTP. Último a Sair é o nome escolhido e já deu muito do que falar nos últimos dias. Tudo porque a televisão pública começou a promover o programa sem explicar o que se tratava e porque o Correio da Manhã acreditou que era mesmo um reality-show e interrogou vários políticos sobre esta aposta da RTP. Mas não, Último a Sair será algo produzido pela Até ao Fim do Mundo e promete fazer rir os portugueses. E já há dois nomes certos, adianta a TV Guia: Bruno Nogueira e Luciana Abreu. Não se sabe é se serão os “apresentadores” ou os “concorrentes”. Pois bem, aí está o projecto “diferente, novo e inovador” de que a eterna Floribella há muito falava. E parece que, afinal, o namoro com a TVI não terminou em casamento. Agora, como se sairá a jovem num registo de humor tão difícil de fazer? Há que aguardar para ver!

Ainda da RTP, surgiu esta semana a notícia de que a estação pública vai adaptar para Portugal o formato australiano de sucesso Masterchef. A estreia deve ser ainda antes do Verão e está prometido que serão mostrados os melhores talentos da cozinha portuguesa. Sinceramente, nunca acompanhei com muita atenção este formato, que passa na SIC Mulher, mas tenho amigas totalmente viciadas. Todavia, ao pensarmos no que aconteceu com Projecto Moda começa-se já a antever que virá mais um formato sem sucesso para a RTP. Se a tudo isto juntarmos o facto de os portugueses não estarem “educados” para apreciar comida em televisão, poderá estar aí um entrave para o sucesso do Masterchef português. Mas a televisão pública já deve ter pensado nisso.

Terminados os destaques, as declarações que marcaram os últimos dias:

“Temos muitos profissionais bons aqui em casa, que só precisam de ter espaço para se mostrarem – e o problema das generalistas é que há pouco espaço para todos. Por isso, antes de mais, temos de cuidar dos que cá estão e arranjar-lhes as plataformas e montras para que possam brilhar.”, Júlia Pinheiro (in TV 7 Dias)

“A TVI não está mais fraca em termos de conteúdo e formatos. A cabo justifica os resultados, sim. Muitos críticos fazem comparações com os anos anteriores e essa é uma leitura desonesta”, Bruno Santos (in TV Guia)

“Tomei a decisão e fiz a escolha certa. Sou feliz na SIC”, Diana Chaves (in Correio TV)

“(A SIC Radical) É mais importante do que as pessoas pensam. Revelou muitos apresentadores à televisão portuguesa, assim como quase todos os nomes do humor feito em Portugal por portugueses e deu dinheiro a ganhar a muita gente”, Pedro Boucherie Mendes (in TV Mais)

Antes das despedidas, a Rosa e o Espinho destes últimos dias:

Rosa

O destaque maior dos últimos dias vai para Sara Barradas e José Raposo, que, sem medos, assumiram o amor que os une. Um romance completamente surpreendente, mas que merece os aplausos pela coragem de ambos em assumi-lo.

Espinho

Já o menos da semana vai para a revista TV Guia. Já alguns tempos que venho a notar algo nesta publicação: a diferença de tratamentos que os diferentes canais têm. Sem sombra de dúvidas que a estação de Queluz de Baixo tem “tratamento VIP” para os lados da revista do grupo Cofina e, depois de se ter mudado para Carnaxide, Júlia Pinheiro passou a ser um alvo pelo lado negativo. A mais recente notícia é a polémica que querem criar com a suposição de a apresentadora não ter querido a versão de The Biggest Loser na TVI. Como se diz na gíria “enfim”.

E assim termina mais uma Frente de Destaques!

Tenha uma Páscoa Feliz e até para a semana!

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close