Fora de Série

Lipstick Jungle

Esta semana recordo uma série exibida há alguns anos pelo canal NBC nos EUA, e em Portugal pela RTP2. Lipstick Jungle é Fora de Série.

Uma história que se centra em três mulheres fortes e ambiciosas que têm de se organizar para conciliar as suas vidas profissionais muito dinâmicas e stressantes com as suas vidas pessoais. É este o tema de Lipstick Jungle – como as mulheres poderosas gerem os seus relacionamentos amorosos, mas também as interações laborais que acontecem num mundo predominantemente dominado por homens (embora esta tendência pareça estar a mudar, felizmente).

Nico (Kim Raver), Wendy (Brooke Shields) e Victory (Lindsay Price) são três grandes amigas que nos são apresentadas como típicas no mundo dos negócios, mas sempre com uma perspetiva de coragem e desenvolvimento das personagens, aproveitando aquilo que de melhor elas podem retirar deste seu poder e sucesso profissional.

Lipstick Jungle contou com duas temporadas (2008-2009), num total de 20 episódios dramáticos, mas divertidos, muito divertidos! Existem situações caricatas e ao mesmo tempo muito reais que acabam por permitir que essas três mulheres evoluam enquanto pessoas.

Fique a conhecer um pouco de Lipstick Jungle com o trailer que apresento em seguida e a análise posterior a esta série.

http://www.youtube.com/watch?v=YNQDxuZtMvc

Quem é quem?

Nico Reilly (Kim Raver) é uma mulher casada há vários anos com um dos seus professores, acabando por se envolver com um jovem atraente – Kirby (Robert Buckley) (ele não gosta de camisas!) – que a faz sentir-se desejada, após a rotina que foi criada no seu casamento. É uma mulher corajosa e determinada, embora possa ser considerada a mais “fria” do grupo. Eu diria que é sobretudo a que mais se consegue distanciar dos problemas, mas sem dúvida que também tem os seus pontos fracos enquanto pessoa.

Wendy Healy (Brooke Shields) é casada com Shane Healy (Paul Blackthorne), num casamento muito feliz do qual resultaram duas crianças. O drama neste caso é o facto de Shane abdicar, em certa medida, da sua vida profissional em prol do sucesso de Wendy. Contudo, esta situação acaba por inverter-se mais tarde, sendo possível a conciliação de ambas as vidas profissionais do casal e não a submissão de uma a favor da outra. Assim, Wendy é uma mulher igualmente corajosa, mas um pouco mais sensível e cujas decisões são muitas vezes emocionais, embora seja inegável o seu empenho e paixão pelo seu trabalho.

Victory Ford (Lindsay Price) é a mais jovem e ingénua do trio. Uma estilista em ascensão e queda de forma consecutiva que acaba por ser ajudada tanto por Nico como por Wendy, bem como Joe Bennett (Andrew McCarthy), o homem que ama (com exceção de alguns percalços durante a série). É ingénua, sensível e não tão corajosa e determinada como Nico e Wendy, sendo para isso que a amizade entre o trio serve. São o apoio entre si que nem sempre conseguem encontrar nos seus relacionamentos amorosos.

Por que não devo perder esta série?

Lipstick Jungle é sem dúvida uma produção muito divertida e ao mesmo tempo real, sobre o papel das mulheres no mundo dos negócios, mostrando os desafios que têm de enfrentar, bem como a gestão que é necessário fazerem para coordenarem as suas vidas profissionais e pessoais. É uma série que nos faz pensar por esse motivo, mas não será, certamente, uma série apenas para mulheres, quanto mais não seja pelo crescente papel que o sexo feminino tem vindo a desempenhar nos dias de hoje. Contudo, sem dúvida que Lipstick Jungle é particularmente inspiradora para as mulheres, mas ao mesmo tempo permite aos homens conhecê-las melhor.

Para além disso, embora não esteja ao nível das produções da HBO no que respeita a nudez e conteúdos sexuais, não faltam situações, eu diria, soft. Mas que acabam por contribuir para a formação destas personagens que são liberais e inovadoras, até, no sentido de encaixar no estereótipo das mulheres de negócios. Porém, acabam por fugir a esse mesmo estereótipo ao serem corajosas e determinadas, mas sensíveis e humanas. É esta dualidade de sentimentos que acaba por contribuir para a evolução de Nico, Wendy e Victory.

Não deve perder esta série se for particularmente interessado por relações humanas cujo centro são mulheres fortes e corajosas, algo que por vezes é deixado de lado nas produções televisivas (embora se deva reconhecer que também aqui o papel feminino tem vindo a crescer e a ser central). Drama e comédia a um ritmo acelerado são os conteúdos principais de Lipstick Jungle e que nos fazem ficar vidrados nas aventuras deste trio, não esquecendo que, embora seja de 2008, as temáticas abordadas na altura ainda estão bastante atuais. De referir ainda, a grande química entre as três atrizes principais que acrescentam credibilidade a toda a história e à amizade que une as suas personagens e é fundamental para a série.

O que podia ser melhorado?

Essencialmente, poderia haver mais episódios, pois acabam por ser poucos para o algum potencial que a série ainda tinha. Não direi que é daquelas séries que nos deixam estupefactos e são imperdíveis, mas vale a pena ser vista por quem gosta de séries dramáticas com um toque de comédia.

Onde posso ver?

De momento, não se encontra em exibição em nenhum canal nacional, mas poderá adquirir os dvds de Lipstick Jungle a um preço acessível nos locais habituais. Vale a pena.

Para a semana há mais Fora de Série. Até lá!

  • Caríssima Diana, eu lembro-me de acompanhar a série quando esta foi exibida na FOX Life. Além de ser uma série mais centrada e virada nas e para as mulheres, eu gostei bastante de acompanhar as histórias das principais pois, a certa altura, estamos tão envolvidos com as suas vidas que é difícil abandonar.

    É certo que podia ter mais episódios porque a história tem potencial para mais, tem algo ali que faltou ser explorado. Em apenas 20 episódios, ficamos satisfeitos mas, como dissestes, ficamos a pedir mais.

    É um bom drama para quem quer escapar às séries tão estereotipadas desta altura e, também, um drama que tenta não matar este género tão complexo e interessante que, nos States, está a desaparecer na TV aberta.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close