Falar Televisão

«Vida Nova» para a Fátima Lopes

Longe dos tempos áureos do SIC 10 Horas, Fátima Lopes, é na minha opinião,hoje, uma apresentadora que parece presa numa estabilidade que em nada a beneficia.Fátima. está hoje, como estava na sua última experiência na SIC, quando se transferiu com grande impacto mediático para a TVI para auferir um salário milionário e na sua bagagem levava com ela um enorme currículo e um background de popularidade que apenas se confunde com a de outras super estrelas televisivas como Júlia Pinheiro, Catarina Furtado ou até Manuel Luís Goucha.

Com a chegada à TVI e um desafio que lhe fugia há uns anos, ganhou uma nova vida e um fulgor que se fazem ver inclusive na cara da apresentadora. Ainda que populista, «Agora é que conta» foi para mim o que de melhor Fátima fez na estação de Queluz de Baixo.

Perante as inequívocas qualidades de comunicadora, foi com enorme pesar que assisti ao seu regresso ao registo que tanto a caracterizou.Após a saída de Júlia para a concorrência, Fátima voltou hoje à apresentadora apática e cansada que nos invade o ecrã e que transmite todo uma atmosfera de pesar  num programa que apesar dos números que ainda obtém, foi em tempos um maior sucesso do que é hoje («As Tardes da Júlia», não era muito diferente de «A Tarde é sua» mas com inegável maior impacto sobre o público).

À TVI, que é uma estação que tão ousada e que gosta de jogar no risco, só lhes peço que não se esqueçam da Fátima Lopes porque o nome e carreira em Portugal e na televisão em particular ainda valem alguma coisa.

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close