Falar Televisão Rubricas

Valar Morghulis

Falar_Televisao 2012

Na semana passada foi-nos proposto pelo canal SyFy Portugal escrever um texto com a reação ao episódio nove da terceira temporada da série Guerra dos Tronos, um dos episódios que mais indignação causou, e muito provavelmente foi aquele que mais deu que falar nos EUA durante toda a semana passada. (Como é obvio, e refiro isto por puro descargo de consciência, esta crónica irá mencionar acontecimentos desse episódio, volto a enfatizar que se trata do episódio nove da terceira temporada da Guerra dos Tronos, caso ainda não tenha visto o episódio em questão, e não goste de saber com antecedência o que irá acontecer, então, sugiro que pare de ler neste preciso momento.)

Assim, sem grandes hesitações aceitei o desafio, e segunda-feira pelas 22h15 sintonizei o canal 67 do MEO, posição do canal SyFy HD, alias como faço todas as semanas desde que começou a terceira temporada da Guerra dos Tronos, para ver o fatídico episódio nove. Lembrando-me das palavras proféticas de Melisandre (Carice van Houten), a sacerdotisa vermelha, pressentia que a «noite seria escura e cheia de horrores», pois, para além de fã da série, também eu não escapei à tentação de ler os livros de George RR Martin, e sendo assim sabia o que estava prestes a acontecer. Porém, não me impediu de suster a respiração durante parte do episódio, ou ter ficado pregada ao sofá durante vários segundos após este ter terminado.

Os acontecimentos do episódio «The Rains of Castemere» levam o espectador acreditar que o Rei do Norte, Robb Stark (Richard Madden), o jovem lobo, um dos heróis da história, conseguirá finalmente ter os homens que tanto necessita para tomar Casterly Rock, mas isto, claro, se o Lorde Walder Frey (David Bradley) cooperar. Assim, à luz dos sete, e sob a proteção das leis de hospitalidade, começa o casamento de Edmure Tully (Tobias Menzies) com Roslin Frey (Alexandra Dowling), a música toca alto e há comida com fartura, um começo bem auspicioso! Porém, como diria o sinistro captor de Theon Greyjoy (Alfie Allen), durante o episódio 3.06 – The Climb, «Se achas que isto vai ter um final feliz, não tens prestado atenção». Assim, quando tudo parecia bem encaminhado, as portas do salão fecham-se, a música «The Rains of Castemere» começa a ser tocada, e com ela a tensão sobe a níveis épicos. Nos minutos seguintes, não um, nem dois, mas mais precisamente três personagens muito acarinhados pelo público são brutalmente assassinados, deixando,assim, o telespectador completamente perplexo.

No final do episódio,  a expressão Valíriana Valar Morghulis veio-me inevitavelmente ao pensamento, a qual pode ser traduzida como «Todos os Homens Devem Morrer», e eles em a Guerra dos Tronos morrem mesmo,  infelizmente, e como diria Sansa Stark (Sophie Turner), «só os piores é que sobrevivem» em Westeros!