Falar Televisão Rubricas

Valar Morghulis

Falar_Televisao 2012

Na semana passada foi-nos proposto pelo canal SyFy Portugal escrever um texto com a reação ao episódio nove da terceira temporada da série Guerra dos Tronos, um dos episódios que mais indignação causou, e muito provavelmente foi aquele que mais deu que falar nos EUA durante toda a semana passada. (Como é obvio, e refiro isto por puro descargo de consciência, esta crónica irá mencionar acontecimentos desse episódio, volto a enfatizar que se trata do episódio nove da terceira temporada da Guerra dos Tronos, caso ainda não tenha visto o episódio em questão, e não goste de saber com antecedência o que irá acontecer, então, sugiro que pare de ler neste preciso momento.)

Assim, sem grandes hesitações aceitei o desafio, e segunda-feira pelas 22h15 sintonizei o canal 67 do MEO, posição do canal SyFy HD, alias como faço todas as semanas desde que começou a terceira temporada da Guerra dos Tronos, para ver o fatídico episódio nove. Lembrando-me das palavras proféticas de Melisandre (Carice van Houten), a sacerdotisa vermelha, pressentia que a «noite seria escura e cheia de horrores», pois, para além de fã da série, também eu não escapei à tentação de ler os livros de George RR Martin, e sendo assim sabia o que estava prestes a acontecer. Porém, não me impediu de suster a respiração durante parte do episódio, ou ter ficado pregada ao sofá durante vários segundos após este ter terminado.

Os acontecimentos do episódio «The Rains of Castemere» levam o espectador acreditar que o Rei do Norte, Robb Stark (Richard Madden), o jovem lobo, um dos heróis da história, conseguirá finalmente ter os homens que tanto necessita para tomar Casterly Rock, mas isto, claro, se o Lorde Walder Frey (David Bradley) cooperar. Assim, à luz dos sete, e sob a proteção das leis de hospitalidade, começa o casamento de Edmure Tully (Tobias Menzies) com Roslin Frey (Alexandra Dowling), a música toca alto e há comida com fartura, um começo bem auspicioso! Porém, como diria o sinistro captor de Theon Greyjoy (Alfie Allen), durante o episódio 3.06 – The Climb, «Se achas que isto vai ter um final feliz, não tens prestado atenção». Assim, quando tudo parecia bem encaminhado, as portas do salão fecham-se, a música «The Rains of Castemere» começa a ser tocada, e com ela a tensão sobe a níveis épicos. Nos minutos seguintes, não um, nem dois, mas mais precisamente três personagens muito acarinhados pelo público são brutalmente assassinados, deixando,assim, o telespectador completamente perplexo.

No final do episódio,  a expressão Valíriana Valar Morghulis veio-me inevitavelmente ao pensamento, a qual pode ser traduzida como «Todos os Homens Devem Morrer», e eles em a Guerra dos Tronos morrem mesmo,  infelizmente, e como diria Sansa Stark (Sophie Turner), «só os piores é que sobrevivem» em Westeros!

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close