Falar Televisão

Um ano não chega

As estações privadas portugueses, e a forma como elas promovem as suas apostas, são de bradar aos céus… Pelos piores motivos. Com as mesmas grelhas de programação de há vários anos – deploráveis, vazias, fonte de ignorância – SIC e TVI agarram-se cada vez mais às novelas de horário nobre como tentativa de se manterem à tona da água, face ao autêntico oceano dos canais temáticos que há muito deu cabo dos navios de cruzeiros das generalistas.

Por agora, a TVI já apostou tudo com Louco Amor enquanto a SIC se prepara para já no próximo mês fazer o mesmo com o remake de Dancin’Days. Duas produções nacionais, de qualidade perfeitamente discutível e que, no caso da TVI, até tem conseguido atingir bons resultados audimétricos. Mas o que liga afinal estas duas novelas? As formas como são promovidas. Alguma crise de criatividade nos gabinetes de auto-promoção de Queluz e de Carnaxide deve ter provocado este ponto em comum. É que, quer Louco Amor, quer Dancin’Days, são anunciadas como “a novela do ano”.

Ora, se pensarmos que estrearam as duas no mesmo ano, torna-se difícil nomear as duas como “a”, artigo singular, novela do ano. Enfim, mais um dos muitos chavões que as estações generalistas já nos habituaram e nos contagiam incessantemente os ouvidos.

Tags

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close