Falar Televisão

Teorias da conspiração?

Desde que a TVI se insurgiu contra a medição de audiências feita pela Gfk, medição essa que já se tornou oficial desde há um mês atrás, os números da estação de Queluz de Baixo têm mostrado uma significativa subida. Surpresa? Nem por isso. Cada vez mais, e como muitos defendem, a entrada da Gfk no mercado televisivo tem-se revelado numa manobra fácil de vender a preço de saldo a RTP e elevar a SIC à liderança da televisão generalista. Sinais claros que demonstram que algo de bastante grave que se congemina, desde o início do mês de março.

Um mês depois, a medição da Gfk continua a apresentar falhas graves e cruciais. Uma amostra muito longe do real panorama dos telespectadores entre muitos outros pontos apresentados no passado recente quer pela RTP, quer agora também pela TVI. A juntar a esse role, mais um exemplo: com a mudança horária, o consumo apresentado pela Gfk não sofreu qualquer mudança. Algo que com a Marktest, numa outra escala, acontecia sempre, nesta altura do ano. Programas como o Preço Certo desciam com os dias mais longos, mas agora, e pegando no concurso de Fernando Mendes, isso não só não acontece como se tem verificado o contrário, tendo este programa vencido, nos últimos dias, a concorrência de Morangos com Açúcar e aproximando-se de Morde & Assopra, da SIC.

Os erros dão azo a teorias da conspiração, é certo. Mas esta inconstância de números não leva a que restem quaisquer dúvidas: o comportamento e os números apresentados pela Gfk são tremendamente suspeitos. A divisão que já se criou, com RTP e TVI (os lesados) de um lado, e SIC e Cabo (os beneficiados) do outro lado da barricada é, também, preocupante e mostra que este caso está muito longe de ficar arrumado. O eco e a dimensão que a polémica das audiências tem tido levam a crer que a hipótese de um afastamento da Gfk e consequente regresso da Marktest, a empresa que líder nas competências técnicas, não é assim tão remoto…

  • LollyPop

    A falta de informação que baseia este artigo torna-o, não só uma peça de difamação, como um péssimo serviço a quem lê. Falar deste tema, seja verdade ou não que a GfK tem falhas, sem procurar o mínimo de informação – aposto que não falou com as empresas ou com alguém que tenha audímetros em casa – não é uma questão de opinião, é uma questão de falso testemunho.

    Fazer jornalismo são se resume a citar o que é publicado na TV Guia ou na TV 7 Dias, e muito menos é fazer eco de opiniões pessoais em supostos artigos críticos. Todos temos direito a uma opinião sobre os temas e não é isso que está em causa. O que está em causa é que não houve, da parte de quem o redigiu, qualquer interesse em dar informação correcta ou ter uma opinião fundamentada e justa. 
    Lamento, muito. 

  • Paulo

    Tem toda a razão!!! A GFK está mesmo a favorecer a SIC. Com que intenção, não sabemos…mais tarde, decerto, iremos descobrir…

    • Biller

      Diga-me em que é que a GFK está a favorecer a SIC?

  • Biller

    Para aqueles que não percebem nada do assunto – diga-se a maioria – importa esclarecer que: o painel da GFK é bastante superior ao da Marktest; os números da GFK são tratados por uma entidade externa à mesma, logo o processo é transparente; no tempo do Marktest os números eram processados pela própria Marktest, pelo que sempre que havia falhas eram corrigidas pela própria Marktest para não criar dúvidas no mercado. É perfeitamente natural que haja flutuação de público: nem sempre um programa lidera, nem sempre um programa perde. Tudo tem a ver com o conteúdo e com a concorrência.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close