Falar Televisão

Salários de peso

Numa das primeiras entrevistas que deu após ter chegado ao canal de Queluz de Baixo, Judite Sousa referiu algo como “agora já não verei o meu salário discutido em praça pública”, algo com que concordo plenamente. Não é de bom tom falar-se nos ordenados dos outros, quando são algo que não nos diz respeito.

Contudo, creio que as recentes polémicas sobre as remunerações de algumas estrelas da RTP são algo de interesse público e que se tornam motivo de choque e alerta. Mais uma vez, volto a referir que “cada um sabe de si”, mas, numa altura de crise como aquela que o país atravessa, em que os cortes orçamentais são cada vez mais direcionados para os bolsos dos contribuintes, acabam por ser como que um escândalo.

Também sei, que se a televisão do estado pretende ser competitiva, tem que assegurar os melhores apresentadores, os melhores jornalistas. Mas ter ordenados que ultrapassam, e bem, os dos principais chefes de estado, acaba por deixar qualquer um de boca aberta. E é por isto que a privatização da RTP deve avançar tanto quanto possível.

Esta é uma questão passível de diversas análises, mas quando olhamos para a folha salarial dos profissionais da RTP, e pensamos que não deixam de ser funcionários públicos, o caso muda de figura. E isto não significa que Catarina Furtado não mereça os 30 mil euros mensais que recebe, ou Tânia Ribas de Oliveira os 10 mil. Mas será que aquilo que rendem no ecrã ainda as faz merecer tais números?

É por isso que, tal como li por aí um dia destes, a questão da privatização da RTP e estes avultados números, vão originar uma nova mudança de cadeiras por parte dos profissionais da nossa televisão. Os primeiros nomes, cheira-me, serão Fernando Mendes para a SIC e Sílvia Alberto para a TVI. Mas Catarina Furtado e José Carlos Malato são também pessoas com grandes possibilidades de regressarem a um dos canais privados.

Como diz um colega meu, “a febre que o dinheiro e a televisão juntos dão”…

  • Anónimo

    Também cheira-me que Fernando Mendes vá para a SIC, mas não tenho assim tantas certezas que Sílvia Alberto vá para a TVI. A TVI tem já muitos apresentadores, especialmente para shows de horário nobre, uma vez que tem a Fátima Lopes e a Cristina Ferreira para se iniciarem nesse mundo (embora já tenham feito coisinhas) e outros. Mas pode ser que vá. Outra profissional que vá parar à TVI deve ser a Catarina Furtado, pois é uma grande apresentadora e, segundo o que se diz, tem uma forte ligação (profissional) com o diretor TVI (José Fragoso)

  • Ana Cláudia Oliveira

    A mama vai-se acabar

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close