Falar Televisão

Representações e Apresentações


Mas afinal o que é isto da apresentação de um programa de televisão? Dou por mim com esta questão de forma repetida. Apresentar um programa exige uma capacidade intuitiva, argumentativa, construtiva e sobretudo uma enorme capacidade discursiva e comunicativa. Os apresentadores de televisão são os comunicadores por excelência, não menosprezando o dificílimo trabalho dos locutores de rádio e a sua excelência, sinto que a apresentação de um programa, e sobretudo em direto, é digno de honra e de louvor.

Ainda assim, insisto, quem são os apresentadores de televisão? Quem são os bons apresentadores de televisão? É que isto de ter uma boa capacidade comunicativa parece ser o bastante para se levar o carimbo: “Apresentador de Televisão”. Se outrora eram os jornalistas com mais carisma e à vontade os resgatados para a condução de programas de entretenimento, hoje a escolha parece recair sobre os atores e atrizes com mais popularidade e com algum jeito para a comunicação.

E agora, insisto na interrogação, são os atores e as atrizes populares, com boa imagem, com boa postura e com algum jeito para a comunicação os melhores apresentadores de televisão? Ou os jornalistas com uma formação em comunicação, em técnicas de discurso, em retórica e argumentação, em exposição de voz e por aí em diante, serão a escolha mais congruente?


A ver pelo panorama nacional diria que temos bons profissionais quer tenham vindo da representação, quer do jornalismo. Imediatamente temos Rita Ferro Rodrigues ou Cristina Ferreira que se iniciaram no jornalismo, mas que depressa foram resgatas para o entretenimento dada a sua postura, a sua atitude e a sua capacidade para “desarmar o boneco jornalístico”. Da representação temos por exemplo Catarina Furtado, Cláudia Vieira, Pedro Granger e agora Rita Pereira.

Da representação, do jornalismo ou de outras áreas o que importa é que surjam bons “entretainers” e que se continue a trabalhar para melhorar a televisão portuguesa.

 

  • Gomes

    E a credibilidade de toda a informação apresentada desaparecer quando citam o nome de Cláudia Vieira. Enfim… E eu que até estava a gostar. Mas pôr Catarina Furtado, Cláudia Vieira, Pedro Granger e Rita Pereira no mesmo saco é um abuso.

    • Caro Gomes, não estão todos “postos no mesmo saco” como diz, apenas faço referência à sua origem profissional. Uns bons, outros piores vieram todos da representação. Eles são exemplos, não do tipo de apresentação que praticam, mas por terem origem na representação. Espero ter esclarecido. 

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close