Falar Televisão

Quase, quase KO

Falar Televisão

Falar Televisão

Ao final de duas semanas, OK KO foi relegado para fora do horário nobre, como o A Televisão avançou. Com as audiências a falarem mais alto, a direção da TVI não teve como manter o formato conduzido por Vera Fernandes e João Paulo Rodrigues no duelo com Dancin’ Days. Ora vejamos o que poderá estar na origem do insucesso do formato. De notar que «insucesso» será sempre uma força de expressão, já que afinal de contas é mais de um milhão o número de espectadores que acompanham o formato.

Mas por que OK KO não funcionou tão bem como Salve-se Quem Puder (SIC), por exemplo? Eu adiantaria duas razões: (1) o público da TVI não gosta destes formatos e muda de canal, quer ver novelas e será difícil mudar um hábito há tantos anos enraizado em Portugal; (2) o formato é efetivamente mau. Ora comparemos o OK KO com o antigo formato da SIC. Apesar daquele não ser especialmente inteligente, a verdade é que os jogos tinham um objetivo que não era, necessariamente, parvo, como acontece na aposta da TVI. Desde quando é engraçado ver três pessoas adultas a serem confrontadas com contas como «10+6-6» e irem parar à piscina? Não acho divertido, por acaso. E aquela mão? É ridícula. Os jogos são ridículos, a verdade é essa, e portanto, por mais esforço que seja feito por parte dos apresentadores, que reconheço competência, a verdade é que há pouco a fazer quando o sumo do programa é zero. Realmente o melhor que a TVI tem a fazer é realocar OK KO na sua grelha e gastar os inúmeros programas que já foram gravados. Entretanto, também deve parar de gravar mais.

Este tipo de decisão é característica da TVI – um formato não resulta e sai da grelha ou é reduzido. É uma medida que revela intolerância por parte do canal, mas se calhar até é uma atitude apropriada para um canal que é líder e quer manter-se assim. Talvez devido às ameaças em horário nobre, Queluz de Baixo está mais intolerante e, portanto, não dá muitas oportunidades de subir às suas apostas. Duas semanas basta. Faz bem e faz mal, porque não fica com formatos a enterrar-lhe as audiências, mas desrespeita alguns espectadores que possam estar a acompanhar os programas.

Bem, depois deste domingo, será que é Dança com as Estrelas que vai ficar KO? Ou a TVI vai buscar as suas «maiores estrelas» e faz uma aposta aos domingos como ocorreu no Big Brother VIP – com convidados? Aguardemos.

  • RST

    Nunca vi um “Falar Televisão” tão ridículo como este!

  • dftmarques

    Concordo!

  • Wilton

    Concordo, tudo que o autor escreveu está correto. Parabéns.

  • Vasco Rolao Preto

    discordo!…deste jornalismo de lugares comuns. nem sei o que mais me irrita , se é não ser capaz de ignorar estas críticas “ao sabor do vento”, …fosse o programa um sucesso…e havia mil razões para assim ser. Como temos um povo-TVI viciado em novelinhas, e as audiencias não foram demolidoras,,, acompanha-se a populaça e arrasa-se o formato com analise primárias e redundantes, para se parecer inteligente. Ou se fico irritado por este jornalismo de lápis azul ao sabor do que parece convir no momento.

    *lembro que escrevo assumindo o meu nome.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close