Falar Televisão

Quando ‘A Televisão’ vai além da internet

Falar_Televisao 2012

Às vezes pergunto-me que país é este que deixa que os seus «filhos» partam. Sangue novo, de pessoas talentosas, audazes e profissionais. Jovens com vontade de criar e fazer, de conquistar a realidade projetada pelos seus sonhos. Com garra para triunfar. Às vezes pergunto-me que país é este, de gente que não valoriza o que ainda se vai fazendo. De gente que teme quem é competente.

A Televisão é isso mesmo: um projeto de pessoas que fazem o que gostam, que trabalham diariamente para levar até si o que se vai passando na «caixinha mágica». Que gostam de aprender e que aprendem todos os dias. Com os erros, com o feedback, com a experiência. É um projeto que surgiu porque alguém teve um sonho. Porque várias pessoas sonharam. Porque, afinal, neste país um tanto perdido, ainda há quem trace o seu caminho, que vá tendo o seu rumo.

Foi há quase um ano e cinco meses que, neste país, surgiu A Televisão. Da fusão do TV Universo e do Televisão-Opinião nasceu este novo projeto. É pequeno, sim, mas cresce de dia para dia. Uns reconhecem-no, outros não, mas isso faz parte do crescimento. Dos passos que se vão dando diariamente. Dos que o conhecem, há quem o tema: porque nunca se sabe o que vem a seguir, porque nunca se sabe o que se poderá noticiar, porque nunca estamos saciados e queremos dar sempre mais. A nossa ambição é só uma: levar até aos leitores o máximo de informação possível, sendo-se sempre profissional. Se há falhas? Qual é o meio de comunicação que não as tem?!

É sempre um orgulho quando se dá um novo passo, quando vemos A Televisão quebrar barreiras. Quando há órgãos de comunicação social que nos dão visibilidade. Há aqueles que nos usam como fonte, mas depois as notícias nunca saem com os referidos créditos; mais importante que isso, são os outros que nos citam. Há uns largos meses, fomos referenciados numa notícia do Diário de Notícias, sobre os sites e blogues que «falam» de televisão; há duas semanas, A Televisão ganhou destaque na «Edição da Manhã» da SIC Notícias, ao fazer parte das escolhas da jornalista Sara Antunes de Oliveira; hoje, foi a vez do site surgir numa crónica do novamente conceituado Diário de Notícias, nas palavras do cronista Joel Neto.

Fiquei feliz quando vi a referência ao A Televisão, hoje. Um tanto espantado, com a distorção de algo que eu escrevi e que não vai ao encontro do conceito de uma rubrica do site. A crónica de Joel Neto, no Diário de Notícias, teve por base uma crónica que escrevi e publiquei no passado domingo, pertencente a’ O Melhor & Pior da Semana. Esta rubrica vem dos primórdios d’ A Televisão, dos tempos do TV Universo e do Televisão-Opinião. Para os mais distraídos ou para aqueles que não nos acompanham há muito tempo, O Melhor & Pior da Semana trata-se de uma rubrica semanal, onde um cronista destaca o que, nessa semana em análise, esteve bem ou mal, audiometricamente, na RTP1, SIC e TVI. Toda a crónica tem por base as audiências, referindo o que beneficiou ou prejudicou a estação. Os produtos não são analisados pela sua qualidade (por vezes, quando a audiência reflete a qualidade, o cronista tem liberdade para o reforçar, mas não é regra), mas pelo seu desempenho. E isso é algo que se percebe facilmente ao se ler, na íntegra, a crónica. Se eu gostaria de falar da qualidade de um produto? Claro que sim, mas para isso é que existem rubricas como o Falar Televisão ou o Like & Dislike. Agora quando uma crónica não tem esse propósito, não se podem misturar os argumentos. Não tenho vontade de dizer que um mau produto é «o melhor da semana» quando não o aprecio e o considero mau, mas quando as audiências falam por si, tratando-se d’ O Melhor & Pior da Semana, tenho que me render às evidências e seguir o conceito.

Numa coisa concordo com Joel Neto: este é um país de pessoas que não têm bom gosto. E se tivermos em conta as casas onde só entram os quatro canais portugueses de sinal aberto, este é também um país de gente infeliz! Mas há quem contrarie as evidências e sorria dia após dia: pessoas que veem os seus sonhos ganharem asas, que provam o sabor do mérito alcançado pelo trabalho árduo, que sentem que um projeto é reconhecido e valorizado. Porque num país como este, ainda há quem queira fazer algo diferente. E A Televisão é diferente. Porque você merece que nos reinventemos todos os dias.

  • Parabéns por o excelente trabalho! CONTINUEM! :))

  • HzV

    Ótimo “Falar Televisão”. Quando vi a crónica no DN, fiquei agradavelmente surpreendido por estarem a falar do “meu” site no “meu” jornal, mas também achei que o cronista não falou com clareza acerca d”O melhor e pior da Semana”!

    Parabéns novamente, pelo vosso trabalho, por este site que gosto tanto!

  • iluminado

    Bando de presunçosos, sic fanáticos, nao tem nada mais útil para fazer que dizer bem da sic, já chateia, nota-se tao bem neste falar tv , o vosso fanatismo pela sic, nem tentam esconder, bando de preguiçosos inúteis, vão trabalhar mas é bando de putos mimados , devem ter papás ricos, ne, sabem o que é a vida, se pensam que se pode passar a vida a escrever coisas sic fanáticas sem nexo nenhum!!!

    Cresçam e apareçam, bando de presunçosos inúteis, corja do piorio!

    E acabem com esta rúbrica deplorável, que pede um fim há tanto tempo, visto que não vale mais que o “material” que que cai nas sanitas!

    • super

      Tenho pena de ti. És doente. Arranja uma vidinha e vai vivê-la!

      • iluminado

        Vai po crl!

    • oTV

      Doente, maníaco anda a aprender com a Petra! Amigo cura-te! Pede ajuda à maezinha. Desculpa era segredo que ainda não sabes limpar o rabinho que fica sujo do teu “material”…

  • AnOn

    Deve custar-te dizer que “A casa dos segredos” é o melhor da semana!

    É um dos casos em que audiências não é sinonimo de qualidade.

    Mas está bem no canal que está!

    “Numa coisa concordo com Joel Neto: este é um país de pessoas que não têm bom gosto.”

    Também concordo.
    São os programas que fazem um canal.
    Tenho que salientar que as pessoas também escolhem programas dependendo do seu grau de intelectualidade e com o qual se identificam…

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close