Falar Televisão

Prognósticos

É já amanhã que Filipa Sousa sobe ao palco de Baku para representar as cores portuguesas na edição deste ano do Euro Festival da Canção.

Já aqui o escrevi, estou curioso para ver a prestação portuguesa mas nada expectante. O que são coisas diferentes.

Basta um não muito rebuscado exercício de pesquisa no You Tube para comprovar que, com exceção óbvia para o disparate do que foi o ano passado, Filipa Sousa continua muito longe de atingir a marca de outras presenças portuguesas, no passado recente. E não é preciso ir muito longe. Senhora do Mar, de 2008, por exemplo, que, curiosamente, contou com os mesmos autores de Vida Minha, será, eternamente, “a” canção portuguesa na nova era do Euro Festival. Em comparação, Vida Minha sai claramente a perder. Canta Por Mim, de 2010. Uma música que nem chegou a ir a Oslo e se ficou pelo palco do Campo Pequeno. Mais um caso em que Filipa Sousa está muito longe da versatilidade e da presença em palco de Catarina Pereira.

E muitas outras poderiam ser as comparações em que Filipa Sousa sai desfavorecida. Apesar da excelente voz, a intérprete que este ano nos leva até à Eurovisão não consegue sair do estádio “agradável”. Mas em Baku o agradável não chega. Há que transformar aqueles 3 minutos de música numa autêntica experiência alucinante. Que desperte, nem a propósito, a curiosidade de todos e não apenas de um modesto fã português, como eu.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close