Falar Televisão

Posso começar pelos erros ortográficos?

É muito triste ver que a grande maioria dos comentários aqui deixados, por entre crónicas, notícias e todo o tipo de artigos que vão sendo publicados no nosso site, se apresentam como autênticas descargas de irracionalidade, por parte de quem escreve, na grande maioria, atrás de um confortável anonimato, e de onde facilmente se extrapola para níveis de ofensa pessoal e crítica maioritariamente infundamentada.

Ninguém, deste lado, se licencia em “cronista”. Como equipa, e também a título individual, fazemo-lo tendo em conta o máximo dos nossos princípios básicos de bom senso, inteligência, maturidade e respeito. Fazemo-lo como pessoas atentas àquilo que acontece no meio. Nunca ninguém aqui escreveu sem conhecimento de causa ou deturpando informação. Só que escrever um texto de opinião implica ter de tomar partido por alguma das partes. Convencer. Gerar opinião. Como? Argumentando. Mesmo que o teor desses mesmos argumentos seja considerado como válido ou não.

Um ano depois, é de lamentar que grande parte dos “anónimos” que nos preenchem a página não compreenda isso mesmo e acabe por extrapolar do singular comentário para uma autêntica arma de arremesso, como se de um duelo se tratasse. Da nossa parte, contem com mais do mesmo: informação e opinião. Na tentativa e com a consciência que todo o trabalho aqui desenvolvido é fruto do melhor que conseguimos dar a esta casa que já é nossa. Parabéns a todos nós!

Tags
  • Nestum

    loool

  • Brawn

    Well done. Keep going with great job. I’m a curious guy when the matter is television, and this site fullfil my desires 😉
    my favourite one for sure. Take care

  • luis

    Gosto

  • Joana

    Não sabia que o site “A televisão” se tinha tornado numa espécie de psicanálise dos seus colaboradores. Trabalhar com exposição mediática implica lidar com críticas. Críticas essas que podem ser infundadas, construtivas e/ou fruto de má fé, isso é irrelevante, o essencial é ter estofo para lidar com elas. Realizar um trabalho sem se deixar levar por pressões exteriores com entrega e dedicação, O que não me parece de todo o caso deste “colaborador”. Já contra-argumentei alguns dos seus argumentos, sem pensar em “duelos”, mas pelo belo prazer de discutir. A discussão alumia, mas para alguns, pouco convictos no seu trabalho, assusta. Tenho pena de ver um texto deste tipo publicado. Queixumes são do foro privado. E quanto ao título do artigo é completamente despropositado, em nada tem a ver com o que titula. Mais uma regra elementar de jornalismo que, embora não seja o fundamento deste site, é fundamental ter algumas bases para oferecer um produto de qualidade. E este projecto é de qualidade, uma excepção não pode corromper este fantástico site.

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close