Falar Televisão

Podes não saber cantar, nem sequer assobiar

Falar_Televisao 2012

Certamente que a opinião que trago aqui hoje, já passou pela cabeça de muito boa gente. A questao é: playback nas televisões portuguesas, ou como quem diz, no «Você na TV!», no «Querida Júlia», no «Portugal no Coração», no «Somos Portugal» e nesses todos outros belíssimos exemplos. É que eu fico chateado («é claro que fico chateado», como diria o Ricardo Araújo Pereira) quando vejo o conceito de «música» ser fraudado descaradamente por tantos artistas em Portugal. Claro que isto não acontece só no nosso país, mas é elevado o número de cantores e bandas portuguesas que só atuam em modo «playback». Que sentido faz isto? Chamar-se-á «fazer música»? Poderá o artista ser considerado um ‘artista’? Será que se sente bem com o dinheiro que recebe pelas atuações? Que ambições de vida é que alguém que só dá a cara e não canta, pode ter afinal? Tudo perguntas sem aparente resposta.

Às vezes chego a pensar que as coisas fazem-se por fazer. Porque simplesmente esta é a tradição e não vale a pena “gastar” os miolos nestes assuntos. E o povo já está tão mas tão habituado, que nem dá por nada. Come e cala. E come. E cala mais uma vez. Principalmente os mais idosos, que provavelmente nem têm noção que estão a ser “enganados” por um cantor que afinal não canta. Está a fingir, a imitar, a fazer gestos, a abrir e a fechar a boca como se estivesse a mastigar uma pastilha elástica interminável. Confesso que, às vezes, gostava que essa pastilha contivesse pimenta.

Contudo, pior do que um cantor praticar playback, só mesmo a sua “pobre” banda por trás. Um conjunto de elementos que fingem que tocam, que estão super entusiasmados com aquilo, que realmente estão a fazer o que gostam, que sabem o que fazem. É triste esta situação, porque isto jamais será música. E nem sequer chega a ser entretenimento. Na verdade, é um atirar de areia para os olhos dos telespectadores. É um não-gastar-dinheiro com os músicos, porque cantar “à séria” custa bem mais a quem paga a conta.

Porque não começar então a chamar a Ruth Marlene e dizer-lhe: «Ei! Tu aí, miúda! Agora vais cantar a sério!». Porque não convidar o Emanuel para o «Somos Portugal» e dizer-lhe com antecedência: «Hoje vai ser diferente, vais cantar. As pessoas vão ouvir a tua voz». Porque não começar a mudar um bocadinho a forma como se faz televisão, inovar de uma vez por todas, apostar na qualidade sem ter que fazer um esforço tremendo. Já chega de mais do mesmo e do mesmo mais. Serei eu o único a pensar assim?

[divider]

Deixo aqui o meu top 3 das atuações mais drásticas de sempre:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=SGXiDlSin-0]

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Ruvob7JTI3Y]

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=YtMSkHVeFU0]

  • Euzin

    Sem querer provocar nada. Foi só na TVI que aconteceram fails enormes de playback?

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close