Falar Televisão

Notícias e Perícias

Uma perolazinha apareceu no meu iPad com o nome de NPolls: uma aplicação de inquéritos que dá a possibilidade ao utilizador de ganhar dinheiro com as respostas (conceito longe de ser novo). Confesso que inicialmente fui atraído por essa mesma razão (ou pechincha), mas cedo percebi a grande utilidade do aplicativo: a possibilidade de consultar resultados de inquéritos dos mais variados temas, incluindo televisão.

Dois chamaram-me particularmente a atenção, um sobre hábitos televisivos (nacional) e outro sobre canais de notícias (internacional). Deste último, deixo alguns dos resultados e reflexões, retirados de uma amostra de cinco mil pessoas dos mais diversos países.

80% dos inquiridos revelaram que vêem regularmente as notícias na televisão; 73% concordam que os canais de notícias são enviesados de alguma forma; 80% acreditam que as estações por detrás de canais noticiosos têm agendas políticas subjacentes; a maioria dos inquiridos apontou como tempo ideal de notícias/reportagens, 30 minutos (em média).

Como é possível constatar, alguns destes dados corroboram a maioria das “opiniões de rua”, que tecem críticas às agendas dos canais. A utilidade destes inquéritos é muitas vezes subvalorizada, mas ainda existem canais e estações atentos. Um dos exemplos é o espaço noticioso da RTP 2, Hoje, que aposta  na condensação das notícias, e mantém, a meu ver, a qualidade informativa. O mesmo se tem passado nos outros canais, embora não com a redução dos noticiários em si, mas com a reformulação dos tempos de notícia, de forma a ceder espaço para outras rubricas. De uma forma geral, acho o panorama noticioso nacional bastante positivo, mas claro, sempre com espaço para melhoramentos. Reitero mais uma vez a minha satisfação pela aposta da RTP 2, e sugiro que outros canais enveredem por essa via. Informação rápida e de qualidade, é o que se quer numa sociedade tão rápida e volátil como a de hoje.

  • Eu também costumo ver o Hoje e gosto bastante desta forma de apresentar o telejornal. Em pé, sem grandes falas e de uma forma simples, mas que talvez consiga captar mais a atenção dos telespectadores. Só é pena ter apenas 2 pontos ou menos em termos audiométricos, pois a jornalista tem qualidades e merece mais.

    Se a RTP2 for privatizada, acabam – se os documentários National Geographic de semanas, acaba – se ZIG zag, acaba um dos mundos para pessoas que não tem TV por cabo. 

    Se virmos por outro ponto,  a RTP é o ponto forte do grupo e se for privatizada melhor, mas acabaria o serviço público e aumentaria a concorrência para a SIC e TVI num piscar de anos.

    É uma decisão importante que só o estado deve tomar, mas penso que a melhor decisão, é mesmo a RTP 2 infelizmente

/* ]]> */

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close